Montadoras podem cortar meta de vendas no Brasil em 2013 e elevar previsão de produção de veículos

terça-feira, 6 de agosto de 2013 18:42 BRT
 

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO, 6 Ago (Reuters) - A indústria automobilística brasileira deve rever para baixo a previsão do crescimento das vendas para este ano, devido ao cenário macroeconômico mais desfavorável, e rever para cima a estimativa de produção, por conta do aumento das exportações, informou a entidade representativa do setor nesta terça-feira.

O crescimento lento da economia, a piora na confiança dos consumidores, perspectivas de novos aumentos de juros para conter a inflação e as manifestações populares compõem um cenário mais desfavorável para as vendas de veículos novos no mercado interno no segundo semestre, disse a Anfavea nesta terça-feira.

Mas a desvalorização do real frente ao dólar e a recuperação de mercados consumidores do exterior têm levado a um aumento das exportações do setor responsável por cerca de um quarto do Produto Interno Bruto (PIB) industrial brasileiro.

"No próximo mês, vamos rever as projeções para produção e vendas", disse o presidente da Anfavea, Luiz Moan, nesta terça-feira a jornalistas. "Seguramente, teremos um número de produção bem maior do que o estimado agora... Para vendas, a previsão continua sendo acima do que vendemos em 2012", afirmou Moan.

As vendas de veículos novos no Brasil subiram 2,9 por cento no acumulado do ano até julho, abaixo do crescimento previsto pela Anfavea de 3,5 a 4,5 por cento este ano, segundo dados divulgados nesta terça-feira.

Em compensação, a produção de veículos, impulsionada pelas exportações, saltou quase 16 por cento no período, bem acima da expectativa da entidade, de alta de 4,5 por cento em 2013.

Quando perguntado especificamente se a Anfavea cortará a projeção para a alta nas vendas no mercado interno, Moan sorriu e se limitou a repetir que a expectativa da entidade é que os licenciamentos de 2013 sejam maiores que as vendas de 3,802 milhões de veículos de 2012.

Na semana passada, a associação de concessionários de veículos, Fenabrave, voltou a cortar sua projeção para as vendas de carros neste ano, de crescimento de 3,14 por cento para alta de apenas 0,78 por cento.   Continuação...