Safra de soja 13/14 do Brasil atingirá 86 mi t--Agroconsult

quarta-feira, 7 de agosto de 2013 14:49 BRT
 

SÃO PAULO, 7 Ago (Reuters) - A produção de soja do Brasil em 2013/14 dever crescer 5,6 por cento na comparação com a temporada anterior, para 86 milhões de toneladas, o que seria um novo recorde, afirmou nesta quarta-feira a consultoria Agroconsult.

Esse aumento na produção deverá ocorrer por conta de uma área plantada 4,4 por cento maior, disse o sócio-analista da consultoria Marcos Rubin, em entrevista exclusiva no chat Trading Brazil da Thomson Reuters.

Segundo o especialista, embora os preços tenham caído na bolsa de Chicago cerca de 3 dólares por bushel em relação ao pico registrado no mês passado, o patamar atual dá lucro aos produtores no Brasil, ainda mais contando com a ajuda da alta do dólar, que eleva o rendimento dos agricultores na moeda brasileira.

"É importante lembrar que o câmbio nos últimos 60 dias teve impacto muito positivo sobre as expectativas de rentabilidade", afirmou Rubin ao chat.

O dólar atingiu recentemente o maior valor em mais de quatro anos frente ao real.

"O câmbio sem dúvida está compensando a queda de preços. Por isso não tivemos uma mudança drástica de perspectiva de plantio nos últimos meses", afirmou ele, observando que a Agroconsult já trabalhava com essa expectativa para a safra há cerca de três meses.

À Reuters, ele ressaltou que a estimativa de safra será revisada ao final de agosto e início de setembro, mais perto do plantio, embora o atual número seja um "bom" parâmetro.

Na temporada passada, o Brasil já havia plantado um recorde de 27,7 milhões de hectares de soja, no embalo dos preços recordes no mercado internacional em 2012, quando a safra dos Estados Unidos foi afetada pela pior seca em mais de meio século.

Na temporada 2013/14, a Agroconsult vê a produção de soja dos Estados Unidos se recuperando. Mas ainda há riscos climáticos, acrescentou o analista. "Para a soja, o atraso do plantio (nos EUA) ainda pode causar prejuízos, pois parte da soja fica sujeita às geadas/nevascas (a partir do final de setembro) no final do ciclo de desenvolvimento da soja", disse ele ao Trading Brazil.   Continuação...