August 8, 2013 / 1:53 AM / in 4 years

Lucro da Vale despenca no 2º tri por efeito cambial na dívida

5 Min, DE LEITURA

Por Roberto Samora e Sabrina Lorenzi

RIO DE JANEIRO, 7 Ago (Reuters) - O lucro líquido da Vale despencou no segundo trimestre para 832 milhões de reais, ante 5,32 bilhões de reais no mesmo período de 2012, refletindo perdas contábeis bilionárias por conta do efeito da valorização do dólar na sua dívida, informou a mineradora nesta quarta-feira.

A maior produtora de minério de ferro do mundo reportou ainda queda na produção, nas vendas e no preço da commodity vendida no segundo trimestre, em meio a uma desaceleração da economia da China, principal cliente da mineradora.

Por outro lado, a companhia reduziu custos e pode ter pela frente um promissor efeito cambial: o dólar médio mais elevado no terceiro trimestre proporcionará aumento da receita com a venda de minério de ferro, que é cotado na moeda norte-americana, e queda nas despesas, que são em reais.

"A forte apreciação do dólar americano em relação ao real--10,5% comparando os preços finais do 2T13 e 1T13 -- foi a principal razão do impacto negativo nas variações monetárias e cambiais de 4,172 bilhões de reais", disse a mineradora em comunicado, acrescentando que essas perdas não tiveram impacto no caixa da empresa.

A empresa também registrou perdas de 1,707 bilhão de reais com swaps de moedas no segundo trimestre.

"A dívida da Vale tem grande maioria denominada em dólar, portanto as variações na desvalorização do real traz impacto de uma variação monetária, que é uma despesa sem efeito caixa", disse o diretor financeiro da segunda maior mineradora do mundo, Luciano Siani, em vídeo disponibilizado pela empresa.

O resultado financeiro líquido foi negativo em 7 bilhões de reais no segundo trimestre.

Mas mesmo excluindo os efeitos contábeis não-caixa e/ou não recorrentes, o lucro líquido "básico" da Vale caiu no segundo trimestre para 5,179 bilhões de reais -- queda de 2,67 por cento na comparação anual e de 16,48 por cento ante o primeiro trimestre do ano.

Pesquisa da Reuters com 18 previsões de bancos de investimentos e corretoras mostrou que a expectativa era de queda de 7,6 por cento do lucro da Vale em relação ao mesmo período do ano passado pelos padrões contábeis norte-americanos (USGAAP).

Como a desvalorização média do real em relação ao dólar no trimestre foi de apenas 3,5 por cento, o impacto positivo líquido do câmbio no fluxo de caixa foi de apenas 155 milhões de dólares no período, disse a empresa. Mas a expectativa é de ganhos maiores no terceiro trimestre, quando a valorização for média for maior.

"O foco não é olhar para o resultado financeiro, mas sim o operacional. No terceiro trimestre a desvalorização do real vai beneficiar - e muito -- o resultado operacional da Vale", disse à Reuters o analista do Itaú BBA Marcos Assumpção.

Apesar da queda no preço médio do seu principal produto, o minério de ferro, a Vale conseguiu elevar a sua geração de caixa ao reduzir custos e despesas, salientou o diretor financeiro.

A geração de caixa da Vale medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), excluindo os efeitos não recorrentes e não-caixa, somou 10,3 bilhões de reais de abril a junho, alta de 1,9 por cento ante o mesmo trimestre do ano passado.

Vendas E produção

A receita com as vendas de minério de ferro no segundo trimestre caiu 8,78 por cento em relação ao mesmo período do ano passado, para 12,77 bilhões de reais. A receita operacional total caiu para 23,37 bilhões de reais, queda de mais de 1,7 bilhão de reais na mesma comparação.

A queda na receita refletiu um menor volume de vendas de minério de ferro e a um preço médio menor que o registrado no mesmo período de 2012.

As vendas de minério de ferro somaram 61,921 milhões de toneladas no segundo trimestre, a um preço médio de 99,21 dólares por tonelada. No mesmo trimestre do ano passado, as vendas foram de 62,978 milhões de toneladas, ao preço médio de 112,44 dólares por tonelada.

A produção de minério de ferro da Vale recuou 9,1 por cento no trimestre na comparação anual, impactada por um prolongamento do período de chuvas, que atrapalham a operação das minas, disse a empresa.

O volume extraído recuou para 73,22 milhões de toneladas entre abril e junho, contra 80,54 milhões no mesmo período de 2012.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below