Japão decidirá cronograma de imposto no fim de setembro--ministro

quinta-feira, 8 de agosto de 2013 10:34 BRT
 

Por Leika Kihara e Stanley White

TÓQUIO, 8 Ago (Reuters) - O governo japonês tomará uma decisão sobre a elevação do imposto sobre vendas como planejado em algum momento a partir do fim de setembro até o início de outubro, disse o ministro da Economia nesta quinta-feira, no que está se tornando um teste sobre se os políticos do Japão podem decretar reformas rigorosas mas necessárias.

Há preocupações de que aqueles membros da administração do primeiro-ministro Shinzo Abe que defendem adiar os aumentos do imposto estão ganhando força, o que potencialmente pode prejudicar a medida relativa ao imposto sobre vendas --um importante passo inicial que visa a reparar as finanças públicas.

"Elevar o imposto de vendas no próximo ano pode não ser a melhor opção se a economia perder força, embora o governo vá buscar a melhor maneira de lidar os desafios que o Japão enfrenta", disse o ministro da Economia, Akira Amari.

O Japão planeja elevar o imposto sobre vendas para 8 por cento ante 5 por cento em abril do próximo ano, e para 10 por cento em outubro de 2015 para lidar com o aumento dos custos de saúde e bem-estar social.

Mas os críticos do plano, incluindo conselheiros de Abe, preocupam-se com o potencial dano à economia e estão pedindo um adiamento, ou um aumento mais moderado na taxa.

Abe irá estabelecer um painel para estudar o provável impacto do aumento do imposto na economia, disse o principal porta-voz do governo nesta quinta-feira.

O painel será formado pelo vice-primeiro-ministro, Taro Aso; o ministro da Economia, Amari; o presidente do BC japonês, Haruhiko Kuroda; e outras autoridades que irão consultar especialistas e líderes empresariais, disse a repórteres o secretário-chefe do gabinete, Yoshihide Suga.

Mesmo se o governo implementar os aumentos de imposto sobre vendas como planejado, o Japão não será capaz de atingir sua meta de equílibrio orçamentário, mostrou um esboço de estimativa do governo obtido pela Reuters, indicando que mais medidas fiscais serão necessárias para controlar a dívida pública.

Abe deve apresentar um plano fiscal ao seus pares do G20 em cúpula de 5 a 6 de setembro em São Petersburgo, Rússia.