Vale deve adotar programa para diluir impacto do câmbio em 2014

quinta-feira, 8 de agosto de 2013 19:14 BRT
 

Por Sabrina Lorenzi

RIO DE JANEIRO, 8 Ago (Reuters) - A mineradora Vale deve adotar um programa de diluição do impacto cambial nos resultados da empresa, após a alta do dólar no segundo trimestre ter provocado um impacto contábil negativo de mais de 4 bilhões de reais no seu lucro.

A segunda maior mineradora do mundo avalia mudar a contabilidade para o próximo ano, conforme permitido pela legislação, para amenizar os efeitos de bruscas variações cambiais no resultado financeiro, disse nesta quinta-feira o diretor financeiro da segunda maior mineradora do mundo, Luciano Siani.

O programa permitirá à companhia usar sua receita em dólar como hedge de seu passivo denominado em moeda estrangeira, eliminando ou diluindo o impacto contábil da variação cambial de um trimestre em vários outros trimestres, dentro da legislação que rege a divulgação de resultados, explicou Siani.

"Avaliamos para o futuro o programa de 'hedge accounting", anunciou o presidente-executivo da Vale, Murilo Ferreira, durante teleconferência para apresentação de resultados da mineradora.

Mecanismo similar foi adotado recentemente por outra gigante brasileira, a Petrobras.

O lucro líquido da Vale despencou no segundo trimestre para 832 milhões de reais, ante 5,32 bilhões de reais no mesmo período de 2012, refletindo perdas contábeis bilionárias por conta do efeito da valorização do dólar na sua dívida, informou a mineradora na quarta-feira.

O efeito negativo do dólar mais alto sobre o resultado trimestral da Vale foi meramente contábil, destacaram executivos da companhia durante a teleconferência, com perspectivas positivas para o lado operacional daqui para frente, já que o principal produto da mineradora é vendido em dólar e seus custos são realizados em reais.

AÇÕES SOBEM   Continuação...