Maior receita com registros impulsiona lucro da Cetip no 2º tri

quinta-feira, 8 de agosto de 2013 21:24 BRT
 

8 Ago (Reuters) - O avanço da receitas com registros de títulos e valores mobiliários impulsionou o Lucro da Cetip no segundo trimestre, mostrando uma clara retomada, mas ainda é cedo para saber se ela é sustentável, disse o presidente da companhia.

A maior depositária de títulos privados de renda fixa da América Latina informou nesta quinta-feira que teve lucro líquido de 91,2 milhões de reais de abril a junho, alta de 43,6 por cento no comparativo anual, em meio a maiores receitas com registros de instrumentos de renda fixa e derivativos de balcão.

O lucro ficou um pouco acima da média prevista por analistas consultados pela Reuters, de 90,2 milhões de reais. A receita líquida subiu 17,9 por cento, para 228,9 milhões de reais.

Em entrevista à Reuters, Francisco Carlos Gomes afirmou que as receitas oriundas de registro no segmento de títulos e valores mobiliários (TVM) foram o ponto forte do trimestre. "Tivemos indícios de uma inflexão da conjuntura que vínhamos observando em 2012 e no primeiro trimestre de 2013", disse.

No entanto, ele acredita que não existem informações suficientes para dizer se esta inflexão é sustentável. "Precisamos esperar pelo menos dois trimestres para ter uma figura mais clara. Mas não deixa de ser um bom sinal."

A receita com registros de títulos e valores mobiliários cresceu 17 por cento na comparação anual. A alta foi de 32,9 por cento na comparação com os três primeiros meses do ano.

Segundo Gomes, parte do aumento pode ser explicado pelo avanço no segmento de derivativos. "Com mais volatilidade no câmbio e em juros, aumentou a procura por instrumentos de hedge e registros de swaps, contratos a termo e outros derivativos mais estruturados", explicou.

A receita com registro de derivativos cresceu 62,6 por cento ante um ano antes, e 60,4 por cento frente os três primeiros meses de 2013, para 8,6 milhões de reais.

No segmento de renda fixa também houve aumento nos registros, com alta de 1,5 por cento na comparação anual e 24,5 por cento na base sequencial.   Continuação...