PDG Realty reduz prejuízo no 2o tri para R$105 milhões

sexta-feira, 9 de agosto de 2013 07:55 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A construtora PDG Realty encerrou o segundo trimestre com prejuízo menor que o registrado em igual período de 2012, totalizando uma perda de 104,9 milhões de reais no período, informou a empresa na noite da véspera.

Entre abril e junho do ano passado, o prejuízo havia sido de 450,1 milhões de reais. Em uma pesquisa da Reuters com quatro analistas, três apontavam para prejuízo para a companhia no período, em meio a uma nova rodada de cancelamentos de lançamentos e de vendas.

A PDG iniciou no fim do ano passado uma revisão dos orçamentos de obras em curso e dos empreendimentos lançados, com cancelamento ou venda de alguns projetos.

"A partir do segundo trimestre de 2013, esse trabalho foi acelerado com a chegada do novo vice-presidente de operações, Antonio Guedes. Nesse trimestre, decidiu-se que 24 empreendimentos não estavam alinhados com as novas diretrizes e critérios", informou a empresa, na divulgação dos resultados.

Segundo a PDG, essa decisão gerou uma redução de 770 milhões de reais do estoque a valor de mercado no segundo trimestre, além de desembolso estimado em 16,3 milhões com distratos e redução de 641 milhões no custo a incorrer de obras.

"Ainda temos em análise 19 projetos que poderão ser vendidos ou cancelados, referentes a um VGV (Valor Geral de Vendas) de lançamento de 825 milhões de reais", informou a companhia no balanço. Segundo a PDG, em um cenário conservador que inclui o cancelamento de todos eles, a PDG teria impacto estimado de 420 milhões de reais em custos de obras e desembolso de caixa de 36 milhões com distratos.

A geração de caixa medica pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), sem considerar as normas IFRS, totalizou 61,108 milhões de reais entre abril e junho, melhor que o Ebitda negativo de 257,2 milhões de reais em igual período do ano passado.

Considerando as normas IFRS, o Ebitda foi de 51,05 milhões de reais, ante número negativo em 223,896 milhões no segundo trimestre de 2012.

A receita operacional líquida da PDG somou 1,14 bilhão de reais no segundo trimestre, com as normas IFRS, alta de 7 por cento sobre um ano antes. O custo, enquanto isso, tombou 26 por cento, a 937 milhões de reais.   Continuação...