Aprosoja desiste de disputa legal contra Monsanto

sexta-feira, 9 de agosto de 2013 16:02 BRT
 

SÃO PAULO, 9 Ago (Reuters) - A associação de produtores de soja desistiu de uma ação legal contra a norte-americana Monsanto e está encorajando os produtores a firmar acordos com a gigante de sementes, disse o advogado da entidade nesta sexta-feira.

A Aprosoja decidiu no final da quinta-feira, após uma longa assembleia em Mato Grosso, maior Estado produtor da oleaginosa, sugerir a seus associados que aceitem a oferta da Monsanto de redução dos preços da nova semente Intacta RR2 Pro da empresa em troca de desistir do caso contra a companhia a semente Roundup Ready.

"O acordo foi aceito ontem pelos produtores; na próxima semana, a ação judicial vai ser retirada", disse Ricardo Tomczyk, um advogado que representa a Aprosoja, à Reuters.

Outra entidade, a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), já havia decidido apoiar o acordo. Tomczyk disse que produtores ainda podem, individualmente, processar a Monsanto em busca de royalties, mas que eles não teriam mais o apoio dos dois importantes grupos agrícolas brasileiros.

A tecnologia geneticamente modificada da Monsanto está presente em 85 por cento dos campos de soja do Brasil, e ajudou o país a se tornar uma potência agrícola durante a última década. O Brasil está virtualmente empatado com os EUA em termos de produção de soja.

A empresa também está enfrentando batalhas legais contra produtores sobre suas práticas de negócios nos Estados Unidos.

A Monsanto ofereceu em 24 de julho dar aos produtores brasileiros um desconto de 18,50 reais nas sementes de Intacta por hectare, ou 16 por cento sobre o preço de 115 reais por hectare, caso eles assinassem um acordo prometendo não processar a Monsanto por royalties pagos em anos anteriores.

Produtores colhem, em média, quase 3 toneladas de soja por hectare no Brasil. Segundo a Monsanto, a Intacta, que é resistente a insetos e ao herbicida glifosato, levará a uma economia com pulverizadores químicos.

Os processos no Brasil começaram depois que produtores alegaram que, segundo a legislação brasileira, o direito da Monsanto de cobrar royalties sobre a Roundup Ready expirou em 2010, enquanto a empresa afirmava que sua patente só terminará em 2014, assim como nos EUA.   Continuação...