Dilma defende investimentos em infraestrutura para país crescer

segunda-feira, 12 de agosto de 2013 13:36 BRT
 

12 Ago (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff aproveitou a inauguração de um etanolduto no interior do Estado de São Paulo para defender a importâncias das licitações para concessões de rodovias, ferrovias e outras obras de infraestrutura que devem ocorrer de agora até abril do ano que vem.

"Esse trecho que estamos inaugurando hoje faz parte de um grande esforço do país para modernizar sua estrutura logística e para assegurar que essa estrutura logística seja de fato um elemento de desenvolvimento do país", disse Dilma durante a cerimônia em Ribeirão Preto.

"Nós precisamos disso não para escoar os produtos, não só porque essa é a forma mais competitiva, mas porque esse é um elemento fundamental para o país crescer. Este país precisa desses investimentos para crescer."

Mais cedo, em entrevista a rádios da região, Dilma disse que o etanolduto que liga Ribeirão Preto, importante região produtora de etanol, à Refinaria de Paulínia (Replan) vai baratear o custo do transporte e reduzir o preço na hora que o produto chegar à bomba.

O trecho inaugurado é a primeira etapa de um empreendimento que integra o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), estimado em 7 bilhões de reais, constituído de modais dutoviário e hidroviário.

O projeto prevê aproximadamente 1.300 km de extensão de dutos e 700 km de hidrovia, 15 terminais de coleta e distribuição, capacidade de transporte de aproximadamente 20 milhões de m³ de etanol por ano e capacidade de armazenamento operacional de 1,2 milhão de m³ de etanol.

Segundo o governo, quando todos os trechos estiverem concluídos, o etanolduto atravessará 45 municípios.

O projeto ligará as principais regiões produtoras nos Estados de Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo ao principal centro de armazenagem, em Paulínia, de onde o etanol será transportado a regiões metropolitanas de São Paulo e Rio de Janeiro, além da saída para o Porto de Santos para exportação.

Além do etanolduto, o governo federal tem para os próximos meses um cronograma de leilões de concessões de portos, aeroportos, ferrovias e rodovias que é a principal aposta do governo para impulsionar o crescimento econômico.

Entre os leilões de concessão previstos estão os dos aeroportos de Confins, em Minas Gerais, e Galeão, no Rio de Janeiro. A área de petróleo de Libra, a maior reserva de petróleo do Brasil, deve ser leiloado em novembro.

(Texto de Eduardo Simões; Edição de Alexandre Caverni)