Banco do Brasil eleva previsão de empréstimos para o ano

terça-feira, 13 de agosto de 2013 09:47 BRT
 

Por Natália Gomez

SÃO PAULO (Reuters) - O Banco do Brasil manteve sua estratégia de forte expansão do crédito no segundo trimestre mesmo em segmentos considerados de maior risco, como financiamento de veículos e para micro e pequenas empresas, e elevou suas previsões para o crescimento de empréstimos em 2013, na contramão de estratégia mais cautelosa adotada por rivais privados.

Ao anunciar lucro líquido de 7,47 bilhões de reais para o período, cerca de duas vezes e meia acima do resultado obtido um ano antes devido ao efeito da venda de ações da BB Seguridade, o BB informou aumento na estimativa da expansão do crédito no Brasil em 2013.

A previsão passou para 17 a 21 por cento (ante 16 a 20 por cento), com estimativas mais otimistas para crédito agrícola e para pessoa jurídica.

No segundo trimestre, a carteira ampliada de crédito do maior banco da América Latina cresceu 25,7 por cento sobre o ano anterior, para 686,63 bilhões, segundo resultados divulgados nesta terça-feira.

Um dos maiores avanços na carteira do BB foi o segmento de crédito agrícola, que avançou 33,2 por cento sobre junho de 2012, para 126,3 bilhões de reais.

Outros destaques foram segmentos considerados de maior risco, como financiamento para veículos, com alta de 12,4, e de crédito para micro e pequenas empresas, que avançou 24,8 por cento. Linhas mais seguras também cresceram. O financiamento imobiliário avançou 78,8 por cento na comparação anual, enquanto o crédito consignado teve alta de 13,3 por cento.

O forte avanço do crédito do BB contrasta com a expansão mais modesta dos bancos privados. No segundo trimestre, a carteira de crédito do Santander cresceu apenas 9 por cento; a do Itaú Unibanco subiu 7,6 por cento; e a do Bradesco cresceu 10,3 por cento.

Todos afirmaram que vêm adotando maior cautela na concessão de crédito para reduzir sua exposição a risco. No entanto, a inadimplência do BB ainda é inferior à média do Sistema Financeiro Nacional.   Continuação...