August 13, 2013 / 2:08 PM / 4 years ago

Vendas no varejo dos EUA apontam para melhora na economia

3 Min, DE LEITURA

Mulher faz compras com sua filha em uma loja da rede Walmart, em Rogers, no Estado do Arkansas, EUA. Uma medida de gastos do consumidor dos Estados Unidos subiu em junho no ritmo mais rápido em sete meses, uma indicação de crescimento econômico mais rápido que pode fortalecer o plano do Federal Reserve, banco central do país, de reduzir seu importante programa de estímulo. As vendas no varejo excluindo carros, gasolina e materiais de construção subiram 0,5 por cento no mês passado, informou o Departamento do Comércio nesta terça-feira, o maior desde dezembro. 6/06/2013.Rick Wilking

Por Jason Lange

WASHINGTON, 13 Ago (Reuters) - Uma medida de gastos do consumidor dos Estados Unidos subiu em junho no ritmo mais rápido em sete meses, uma indicação de crescimento econômico mais rápido que pode fortalecer o plano do Federal Reserve, banco central do país, de reduzir seu importante programa de estímulo.

Outros dados nesta terça-feira mostraram que o otimismo de pequenas empresas dos Estados Unidos melhorou em julho, enquanto os preços de importados aumentaram menos que o esperado durante o mês.

As vendas no varejo excluindo carros, gasolina e materiais de construção subiram 0,5 por cento no mês passado, informou o Departamento do Comércio nesta terça-feira, o maior desde dezembro. Economistas consultados pela Reuters esperavam que a o núcleo das vendas no varejo subisse 0,3 por cento.

No geral, as vendas no varejo avançaram 0,2 por cento no mês, pouco abaixo das expectativas de analistas.

"As famílias podem estar gastando um pouco mais livremente em resposta aos recentes aumentos nas vagas de emprego", disse o economista da Capital Economics, em Londres, Paul Dales.

^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^

Gráfico- Vendas no varejo: link.reuters.com/fak93t

^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^

O chairman do Fed, Ben Bernanke, disse no mês passado que o banco central norte-americano pode começar a reduzir as compras de títulos mensais, que buscam diminuir os custos de empréstimo e impulsionar o emprego, até o fim do ano. O banco compra atualmente 85 bilhões de dólares ao mês em títulos de longo prazo, programa conhecido em Wall Street como QE, ou "quantitative easing".

Muitos economistas esperam que o Fed começará a reduzir as compras no próximo mês, e as vendas no varejo reforçam essa visão.

"O número de hoje (das vendas no varejo) deve manter o Fed no caminho de reduzir as compras do 'quantitative easing' em setembro", disse o estrategista-chefe de mercados da WorldWideMarkets, Joseph Trevisani.

Um relatório separado da Federação Nacional de Empresas Independentes (NFIB, na sigla em inglês) mostrou que a confiança melhorou entre os proprietários de pequenas empresas em julho, mais uma indicação de que a atividade econômica pode acelerar no segundo semestre do ano.

Enquanto os consumidores norte-americanos têm sido atingidos por preços mais altos de gasolina, o Departamento do Trabalho informou que os preços de importados em geral subiram 0,2 por cento, ficando abaixo das expectativas de analistas de ganho mais forte. Isso sugere pressões inflacionárias sob controle vindas do exterior.

Também nesta terça-feira, foi divulgado que os estoques empresariais nos Estados Unidos ficaram inalterados em junho, após leve queda de 0,1 por cento em maio. Economistas consultados pela Reuters estimativam alta de 0,2 por cento em junho.

Reportagem de Jason Lange; Reportagem adicional de Nick Olivari, em Nova York

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below