Governo brasileiro apresenta projeto de ferrovias a gigantes do agronegócio

quarta-feira, 14 de agosto de 2013 16:35 BRT
 

Por Leonardo Goy

BRASÍLIA, 14 Ago (Reuters) - O governo federal apresentou, nesta quarta-feira, a potenciais investidores os detalhes dos projetos de ferrovias de cargas, para tentar atrair o maior número de competidores para os leilões de concessão do setor, disse à Reuters o ministro dos Transportes, César Borges.

O governo pretende licitar 10 mil quilômetros de ferrovias, com investimentos previstos de 91 bilhões de reais, para a iniciativa privada nos próximos anos. O leilão do primeiro trecho está previsto para outubro.

"Estamos apresentando os projetos", disse o ministro, acrescentando que há "muitas empresas interessadas".

Nesta semana, o governo adiou por um ano o leilão do trem-bala, que ligará Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro, que não faz parte do plano de ferrovias, por falta de concorrência. O governo conta com o sucesso do plano de concessões de rodovias, ferrovias, portos e aeroportos para resolver o gargalo logístico do país e impulsionar os investimentos e o crescimento econômico.

Gigantes do agronegócio, como Louis Dreyfus, Cosan, Cargill e Caramuru, participaram do encontro, além da presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Segundo o ministro, as traders e processadoras de grãos são, além de prováveis usuárias, também potenciais sócios das novas ferrovias. "Elas podem participar por meio de uma SPE (Sociedade de Propósito Específico)", disse.

"Estamos conversando com construtoras e com operadores", acrescentou.

Pelo modelo lançado no final do ano passado, o governo fará leilões para escolher o concessionário que cuidará da construção e da manutenção das ferrovias.

Em seguida, a estatal Valec comprará 100 por cento da capacidade de carga das ferrovias e a revenderá a usuários e operadores interessados, garantindo sempre que cada trecho tenha mais de um operador movimentando trens, para gerar concorrência.

O ministro disse que não estão previstas mudanças na parte financeira dos editais de licitação, mas salientou que o governo aguarda a avaliação do Tribunal de Contas da União para fechar a versão definitiva do primeiro edital que já foi lançado, o do trecho de ferrovia entre Açailândia (MA) e Barcarena (PA), cujo leilão o governo quer realizar no dia 18 de outubro.