Economia brasileira desacelera no 2º tri e cresce 0,89%, aponta BC

quinta-feira, 15 de agosto de 2013 11:22 BRT
 

Por Camila Moreira

SÃO PAULO, 15 Ago (Reuters) - A economia brasileira desacelerou no segundo trimestre deste ano, de acordo com um indicador do Banco Central, mantendo o tom de cautela no mercado em meio a sinais de instabilidade da atividade.

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) registrou expansão de 0,89 por cento no segundo trimestre sobre os três primeiros meses, de acordo com dados dessazonalizados divulgados nesta quinta-feira.

No primeiro trimestre, o indicador considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB) mostrou expansão de 1,10 por cento, segundo dados revisados.

"O número sugere uma expansão de 0,9 por cento no segundo trimestre ante o trimestre anterior", afirmou o Espírito Santo Investment Bank em nota assinada pelo economista-chefe Jankiel Santos e pelo economista sênior Flávio Serrano, referindo-se ao crescimento do PIB medido pelo IBGE, que será divulgado no próximo dia 30.

"O problema é que o IBC-Br tem superestimado a performance da produção brasileira desde o terceiro trimestre de 2012. Portanto, mantemos nossa visão cautelosa em relação ao PIB e estimamos crescimento de 0,8 por cento no período", acrescentam os economistas na nota.

Esse resultado esperado ainda seria melhor do que a expansão de 0,6 por cento verificada pelo IBGE nos três primeiros meses do ano sobre o trimestre anterior.

Outros economistas também veem no número divulgado nesta manhã um indicativo de que o crescimento do PIB a ser anunciado pelo IBGE será maior do que no primeiro trimestre.

Em junho, o IBC-Br registrou crescimento de 1,13 por cento sobre maio, abaixo do esperado pelo mercado. Analistas consultados pela Reuters esperavam alta de 1,25 por cento no mês, de acordo com a mediana de 19 projeções, que variaram de 0,30 a 1,70 por cento.   Continuação...