Dólar sobe 0,58%,toca em R$2,35 no intradia; BC anuncia rolagem de swaps

quinta-feira, 15 de agosto de 2013 20:34 BRT
 

Por Bruno Federowski e Tiago Pariz

SÃO PAULO, 15 Ago (Reuters) - O dólar avançou ante o real pela quarta sessão consecutiva, chegando a tocar o patamar de 2,35 reais no intradia, e renovou a máxima em quatro anos diante da perspectiva de que novos sinais de melhora nos Estados Unidos possam levar o banco central do país a reduzir seu estímulo monetário.

Após o fim dos negócios, o Banco Central brasileiro anunciou que dará início na sexta-feira à rolagem dos 100.800 contratos de swap cambial tradicional --que funciona como uma venda futura de dólares--, equivalentes a 5,04 bilhões de dólares, que vencem em 2 de setembro de 2013. Os detalhes da rolagem serão divulgados na própria sexta-feira, disse a assessoria do BC.

A moeda norte-americana fechou esta quinta-feira com alta de 0,58 por cento, a 2,3385 reais na venda, maior patamar no fechamento desde 11 de março de 2009, quando a divisa ficou em 2,351 reais.

Durante o pregão, no entanto, a divisa dos EUA chegou a bater na máxima de 2,3517 reais, nível que também não era atingido em mais de quatro anos. O volume de negócios continuou pequeno, em torno de 1,2 bilhão de dólares, segundo a BM&F.

"O que aconteceu foi que os números sobre a economia norte-americana saíram de manhã e o dólar operou em alta desde então", resumiu o superintendente de câmbio da Intercam Corretora, Jaime Ferreira.

O número de norte-americanos que entrou com pedidos de auxílio desemprego caiu para mínima em quase seis anos na semana passada, indicando aceleração no crescimento no mercado de trabalho no início de agosto.

Além disso, o Índice de Preço ao Consumidor norte-americano subiu 0,2 por cento e, em 12 meses até julho, avançou 2,0 por cento. O movimento da inflação na direção da meta de 2 por cento do Federal Reserve, banco central norte-americano, pode oferecer algum conforto às autoridades, que têm alertado sobre os potenciais perigos de uma inflação muito baixa.

Os dados reforçaram a tese que a maior economia do mundo está se recuperando, abrindo caminho para que o Fed comece a reduzir seu programa de estímulo já em setembro, que atualmente consiste em compras mensais de 85 bilhões de dólares em títulos hipotecários e públicos.   Continuação...