Bolsas dos EUA têm pior queda desde junho com balanços fracos

quinta-feira, 15 de agosto de 2013 18:00 BRT
 

Por Angela Moon

NOVA YORK, 15 Ago (Reuters) - As ações dos Estados Unidos fecharam em queda nesta quinta-feira, no maior recuo percentual diário desde 20 de junho, após resultados e projeções decepcionantes das companhias Wal-Mart e Cisco, ambas componentes do índice Dow Jones.

O índice Dow Jones recuou 1,47 por cento, para 15.112 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve desvalorização de 1,43 por cento, para 1.661 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 1,72 por cento, para 3.606 pontos.

A queda S&P 500 foi a maior desde 20 de junho, quando o índice perdeu 2,5 por cento. Até agora nesta semana, o índice acumula baixa de 1,8 por cento.

Ações ligadas a consumo e tecnologia figraram entre as maiores quedas após o papel da Wal-Mart recuar devido ao surpreendente declínio trimestral nas vendas pelo critério "mesmas lojas", abertas há mais de um ano, e o papel da Cisco cair um dia após a fabricante de equipamentos para redes anunciar que está cortando 4.000 postos de trabalho.

"Sim, caímos significativamente mas não são vendas generalizadas em pânico, considerando o rali que tivemos neste ano", disse o estrategista-chefe do TD Ameritrade, J.J. Kinahan. Ele acrescentou que, embora o índice de volatilidade CBOE, um termômetro da ansiedade de investidores, tenha avançado nesta sessão, ele ainda está abaixo de 15 pontos.

Somando-se à pressão de queda, dados mostraram que os preços ao consumidor subiram amplamente em julho e que o número de novos pedidos por auxílio-desemprego recuou na semana passada para a mínima em seis anos, fatores que podem levar o Federal Reserve, banco central dos EUA, a reduzir o ritmo de seu programa de compra de bônus, atualmente em 85 bilhões de dólares ao mês, para estimular o crescimento econômico.