Após ajustes, Ibovespa fecha pela 9ª sessão no azul

segunda-feira, 19 de agosto de 2013 18:13 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO, 19 Ago (Reuters) - O principal índice da Bovespa teve leve reversão já nos ajustes do pregão desta segunda-feira, mas o bastante para emendar a nova sessão no azul, em dia volátil marcado pelo exercício de opções sobre ações.

O Ibovespa fechou com variação positiva de 0,07 por cento, a 51.574 pontos. O giro financeiro foi de 12,86 bilhões de reais, inflado pelo vencimento de opções, que movimentou 4,02 bilhões de reais.

O índice chegou a subir cerca de 1 por cento perto do horário em que se encerrou o prazo para o exercício de contratos de opções, mas praticamente anulou os ganhos em seguida.

"Com a passagem do exercício, o mercado foi se ajustando em função do cenário externo, com o índice de metais lá fora, o petróleo e as bolsas norte-americanas caindo", afirmou o operador de renda variável Luiz Roberto Monteiro, da Renascença.

As bolsas dos Estados Unidos recuaram pela quarta sessão seguida, com investidores apreensivos à espera da ata do Federal Reserve, banco central norte-americano, que será divulgada na quarta-feira e dará novas indicações sobre o momento em que a instituição pretende reduzir seu programa de estímulos.

Puxaram o Ibovespa para baixo os papéis de BM&F Bovespa e do Banco do Brasil. Também caíram papéis do setor imobiliário, como Gafisa e Rossi Residencial, e empresas de consumo, como Hering, Lojas Renner e Natura, em meio à desconfiança de investidores quanto à economia doméstica, à valorização do dólar e ao cenário de alta das taxas de juros mais altas.

"O mercado todo está saindo do ciclo das empresas de consumo e fazendo posição nas globais (...) em detrimento de tudo que tem ciclicidade doméstica", afirmou o sócio da Humaitá Investimentos Frederico Mesnik.

As taxas de juros futuros tiveram a sexto alta, com o mercado dividido sobre os próximos passos do Banco Central na condução da política monetária. Parte dos investidores passaram a acreditar em uma alta mais acentuada da Selic, a taxa básica de juros, já na semana que vem.   Continuação...