Presidente do BC japonês pede ao país que prossiga com alta de imposto

terça-feira, 20 de agosto de 2013 10:51 BRT
 

Por Leika Kihara

TÓQUIO, 20 Ago (Reuters) - O presidente do banco central japonês, Haruhiko Kuroda, reiterou nesta terça-feira sua visão de que o governo tem que prosseguir com um aumento planejado no imposto sobre vendas do país para reparar suas finanças.

"A economia pode ver algumas flutuações... Mas eu não acho que o aumento do imposto sobre vendas levará a uma queda na economia ou prejudicará o cumprimento da meta de 2 por cento de inflação (do BC japonês)", disse Kuroda em programa de televisão.

Kuroda disse estar ciente dos desafios que enfrenta ao tentar tirar o Japão de 15 anos de deflação, mas destacou que o banco central fará "o que for preciso" para alcançar essa meta.

Ele também disse estar convencido de que a economia do Japão irá se recuperar, afirmando que as melhoras na economia estão avançando e que devem se ampliar.

"O ciclo positivo de produção, renda e gastos já está começando", disse ele.

As declarações de Kuroda vêm em meio a uma intensificação do debate político sobre se o Japão deve prosseguir com um aumento planejado em duas etapas do imposto sobre vendas a partir do próximo ano, ou optar por um aumento mais moderado para aliviar o fardo sobre a economia que ainda está só saindo da estagnação.

O crescimento econômico do Japão desacelerou mais que o esperado no segundo trimestre, mostraram dados divulgados na semana passada, oferecendo munição àqueles que buscam amenizar o aumento de imposto.

"O Japão pode atingir tanto o crescimento econômico quanto o aumento de imposto sobre vendas... ou melhor, recuperar a saúde fiscal. Isso tem que ser feito", disse Kuroda. "O adiamento (dos esforços para a reforma fiscal) causarão problemas no futuro".