CSN entra na disputa por mineradora MMX, de Eike Batista, diz fonte

terça-feira, 20 de agosto de 2013 20:27 BRT
 

Por Sabrina Lorenzi

RIO DE JANEIRO, 20 Ago (Reuters) - A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) entrou na disputa pela empresa de mineração MMX, do grupo EBX, de olho no porto da empresa de Eike Batista que viabilizaria projetos de minério de ferro, disse à Reuters nesta terça-feira uma fonte com conhecimento direto do assunto, sob condição de anonimato.

Com planos para expandir a produção de minério de ferro em Minas Gerais, a CSN precisa de mais capacidade portuária no Estado do Rio de Janeiro, disse outra fonte do setor.

O principal chamariz da venda da MMX é o Porto do Sudeste, um terminal estratégico para empresas que exploram minério de ferro em Minas Gerais e necessitam de infraestrutura para viabilizar projetos, inclusive a CSN.

Ao mesmo tempo que busca comprar a MMX, a CSN continua em negociações com a alemã ThyssenKrupp para adquirir fatia na Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA).

A CSN "não pode mais crescer em Volta Redonda e precisa ampliar a capacidade de porto", disse a segunda fonte, que também pediu para não ser identificada.

A intenção de ampliar a logística é um dos motivos do interesse da CSN na CSA e, agora, na MMX. Mas a empresa de Benjamin Steinbruch deverá optar pela CSA ou a MMX, sem ficar com os dois ativos, avalia a fonte.

A MMX reiterou nesta terça-feira que avalia oportunidades de negócios, ao responder a questionamento da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) sobre oscilações atípicas nos preços e no volume de negócios com suas ações na bolsa paulista.

Em meio a dificuldades financeiras do grupo EBX, a MMX informou em junho que estava avaliando "oportunidades" que incluem a venda de ações detidas por Eike, assim como de seus ativos.   Continuação...