Estoque de aço plano entre distribuidores no Brasil cresce 17% em julho

quarta-feira, 21 de agosto de 2013 16:43 BRT
 

SÃO PAULO, 21 Ago (Reuters) - Os distribuidores de aços planos do Brasil elevaram estoques em 17,4 por cento em julho sobre o mesmo período do ano passado, informou a associação que representa o setor responsável por cerca de 30 por cento das vendas das siderúrgicas do país.

Na comparação com junho, houve alta de 2,4 por cento, para cerca de 1,131 milhão de toneladas, informou nesta quarta-feira o Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda).

Com o resultado, a entidade espera que as compras e vendas de aço da rede distribuidora permaneçam estáveis neste mês.

No final de junho, o Inda reduziu sua perspectiva de crescimento de vendas em 2013 de 6 para até 2,5 por cento, após um primeiro semestre em que a comercialização registrou queda de 1,7 por cento sobre o mesmo período de 2012.

A divulgação dos números do Inda ocorreu um dia depois do Instituto Aço Brasil (IABr), que representa as usinas siderúrgicas do país, ter zerado sua perspectiva de aumento da produção em 2013, além de ter cortado estimativa de crescimento de vendas e ampliado a previsão de queda nas exportações.

Segundo o Inda, o incremento nos estoques ocorreu depois que os distribuidores elevaram as compras de aços planos em 25 por cento em julho, para 413,8 mil toneladas. A elevação das compras ocorreu antes de novos reajustes de preços anunciados pelas usinas a partir do início de agosto.

Na comparação com junho, houve alta de 6 por cento nas compras, enquanto no acumulado de janeiro a julho o setor apurou crescimento de 9,3 por cento sobre o mesmo período de 2012.

Já as vendas tiveram alta de 13,1 por cento na comparação anual e subiram 11,2 por cento sobre junho, para 386,8 mil toneladas. No acumulado dos sete primeiros meses de 2013, as vendas subiram 0,3 por cento, para 2,531 milhões de toneladas.

Apesar da desvalorização do real contra o dólar, as importações em julho subiram 31,6 por cento sobre o mesmo mês de 2012 e dispararam 109,4 por cento sobre junho, para 184 mil toneladas. No acumulado no ano, no entanto, houve redução de 20 por cento nas importações em relação ao mesmo período do ano passado, para 806,2 mil toneladas.

(Por Alberto Alerigi Jr.)