Cobertura 4G cresce no país, mas longe da meta de usuários da Anatel

quarta-feira, 21 de agosto de 2013 18:16 BRT
 

Por Luciana Bruno e Nestor Rabello

RIO DE JANEIRO, 20 Ago (Reuters) - As operadoras de telefonia móvel do país dificilmente atingirão neste ano a projeção de 4 milhões de usuários para o 4G feita pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), disseram as principais empresas do setor que, no entanto, já conseguiram antecipar metas de cobertura.

Em abril, o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende, previu que o número de usuários de 4G chegaria a 4 milhões neste ano, volume que foi ratificado na terça-feira pelo vice-presidente da agência, Jarbas Valente.

"Mantemos a meta, principalmente porque os últimos meses do ano costumam vender mais", disse Valente. Até junho, porém, o volume de usuários da Internet móvel de quarta geração somou 174 mil no país, segundo números da própria Anatel.

Com a maior penetração no 4G, mercado no qual detém fatia de 46,8 por cento, a Telefônica Brasil,, dona da Vivo, tem 82 mil clientes, desde que iniciou a oferta, em 30 de abril.

"Dificilmente o mercado vai ter 4 milhões de usuários neste ano. Estamos colocando a rede, os aparelhos disponíveis são 'premium', mas ainda são aparelhos não massificados em relação a valor", disse Christian Gebara, diretor-executivo de mercado individual da Vivo.

Na Vivo, os aparelhos com tecnologia 4G custam em média 600 reais, dependendo do plano contratado. O executivo disse que o 4G está dentro da estratégia da Vivo de dar ênfase à Internet móvel, mas que ainda é preciso investir no 3G.

"Trabalhamos para poder colocar mais antenas, existe toda uma negociação com as prefeituras e diferentes órgãos ambientais", declarou Gebara, verbalizando uma reclamação comum às operadoras.

Nesta semana, a Anatel disse que considera antecipar as metas de universalização dos serviços de telefonia 3G e 4G no Brasil. A meta para o 3G, definida atualmente para 2017, pode ser encurtada em um ou dois anos, enquanto a do 4G, de 2019, pode ser antecipada em um ano, disse Rezende.   Continuação...