Desemprego no Brasil cai pela 1ª vez no ano, rendimento recua pelo 5º mês

quinta-feira, 22 de agosto de 2013 13:56 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO, 22 Ago (Reuters) - A taxa de desemprego no Brasil caiu pela primeira vez neste ano ao atingir 5,6 por cento em julho, menor taxa desde fevereiro, mas ao mesmo tempo o rendimento real da população recuou pela quinta vez seguida.

Em junho, a taxa de desemprego havia atingido o patamar mais alto desde abril de 2012 ao chegar a 6,0 por cento. Em fevereiro deste ano o desemprego também atingiu 5,6 por cento.

O número divulgado nesta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ficou abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters, cuja mediana de 21 projeções apontou que a taxa atingiria 5,8 por cento.

A última queda do desemprego tinha acontecido em dezembro passado, quando atingiu a mínima histórica de 4,6 por cento num momento sazonalmente favorável pelas festas de fim de ano.

Na avaliação de analistas, o resultado aponta para uma moderação do mercado de trabalho.

"Em termos ajustados sazonalmente, o desemprego permaneceu inalterado em 5,6 por cento, basicamente o mesmo nível que tem prevalecido desde meados de 2012. Em outras palavras, apesar da fraca performance da criação formal de empregos..., os dados do IBGE apontam para um cenário de estabilidade", escreveu em nota o ex-diretor de Assuntos Internacionais do Banco Central Alexandre Schwartsman.

A avaliação é compartilhada pelo coordenador da pesquisa no IBGE, Cimar Azeredo, uma vez que julho foi o segundo mês seguido em que a taxa de desemprego ficou acima do mesmo mês do ano anterior. Em junho e julho de 2012, ela atingiu 5,9 e 5,4 por cento, respectivamente.

"O número de pessoas que está entrando no mercado não tem sido suficiente para reduzir a taxa. Há uma estabilidade no mercado de trabalho em relação ao ano passado", disse Azeredo.   Continuação...