Eli Lilly diz estar preocupada com acusações de suborno na China

quinta-feira, 22 de agosto de 2013 13:39 BRT
 

XANGAI, 22 Ago (Reuters) - A farmacêutica norte-americana Eli Lilly disse estar profundamente preocupada com as alegações publicadas num jornal chinês sobre pagamento de mais de 30 milhões de iuanes (4,9 milhões de dólares) em subornos para que médicos prescrevessem medicamentos da empresa em vez de produtos de rivais.

Um ex-gerente sênior da empresa, identificado pelo pseudônimo Wang Wei, disse ao 21st Century Business Herald que o suborno e os pagamentos ilegais feitos pela companhia em operações na China foram generalizados, segundo noticiou o jornal nesta quinta-feira.

A Eli Lilly é a terceira farmacêutica estrangeira a enfrentar acusações publicadas no jornal neste mês. Os relatos coincidem com múltiplas investigações chinesas sobre o setor, abrangendo corrupção na precificação dos remédios.

A matéria disse que os 30 milhões de iuanes em subornos foram pagos durante cerca de um ano, entre 2011 e 2012.

A Eli Lilly afirmou em comunicado enviado por email à Reuters que estava analisando o assunto.

"Embora não tenhamos sido capazes de verificar essas alegações, nós as levamos a sério, e vamos continuar nossa investigação", disse o comunicado.

A empresa dos EUA disse que havia sido informada de "acusações semelhantes" acerca de propinas em 2012, por um ex-gerente de vendas. A companhia afirmou que abriu uma investigação na época, envolvendo entrevistas com a equipe, monitoramento de emails e auditorias nas despesas.

(Por Adam Jourdan)