Nasdaq optou por cautela e não velocidade ao reiniciar negócios

sexta-feira, 23 de agosto de 2013 12:50 BRT
 

NOVA YORK, 23 Ago (Reuters) - Em 30 minutos trabalhando na interrupção que atingiu o mercado de ações da Nasdaq na tarde da quinta-feira, paralisando 5,9 trilhões de dólares em negociações de ações dos EUA, os funcionários da bolsa conseguiram resolver o problema.

Outras duas horas e meia se passaram, porém, antes que eles pudessem colocar o mercado eletrônico de volta em funcionamento.

A maior parte dos 191 minutos que o mercado ficou sem operar foram gastos em conversas, por vezes frenéticas, com bancos, corretoras, empresas de investimentos e companhias de mercado rivais que queriam que a Nasdaq garantisse um retorno das negociações ordenado e não liderado pelo pânico.

A primeira responsabilidade da Nasdaq era garantir um "mercado justo e ordenado", disse o presidente-executivo da Nasdaq, Robert Greifeld, nesta sexta-feira na Fox Business Network, e funcionários trabalharam primeiro para entender e corrigir o problema e, em seguida, para se comunicar com o mercado de valores mobiliários para garantir um recomeço suave.

"Havia uma ativa comunicação ocorrendo", disse Greifeld.

Enquanto isso, mesas de negociação de bancos estavam avisando a Nasdaq, operada pelo grupo Nasdaq OMX, para não se apressar em reabrir, temendo que um reinício cheio de problemas iria apenas diminuir a confiança nos mercados, segundo três fontes de corretoras e bancos que não quiseram ser identificados.

No final, a reabertura ocorreu de forma relativamente boa.

As transações reiniciaram no meio da tarde de quinta-feira, com a negociação de apenas uma ação, e 25 minutos depois, o resto do mercado abriu e, de acordo com a Nasdaq, "o dia de negociação terminou normalmente".

As ações da Nasdaq, que inicialmente caíram mais de 5 por cento no reinício das operações, se recuperaram e fecharam com queda de 3,4 por cento.

(Reportagem de Jed Horowitz, Lauren LaCapra e Herbert Lash)