Baosteel vê preços de aço na China enfraquecendo no 2o semestre

segunda-feira, 26 de agosto de 2013 09:41 BRT
 

XANGAI, 26 Ago (Reuters) - Os preços de aço na China provavelmente vão enfraquecer no segundo semestre diante de um quadro de oferta superando a demanda, afirmou um executivo sênior da Baosteel, maior siderúrgica em valor de mercado do país, nesta segunda-feira.

O excesso de capacidade na China, responsável por quase metade do aço produzido no mundo, tem encolhido margens de lucro de produtores locais, limitando o espaço de qualquer recuperação na demanda. A Baosteel sofreu uma queda de 61 por cento no lucro do primeiro semestre.

Com cerca de 300 milhões de toneladas de excesso de capacidade de aço, equivalentes a quase o dobro da produção da União Europeia no ano passado, Pequim está implementando medidas para reduzir a sobreoferta, incluindo corte no acesso ao crédito pelo setor.

"A retomada está sem força para ser sustentada no curto prazo e os preços de aço ficarão voláteis no segundo semestre e mais fracos que no primeiro por causa das incertezas sobre demanda e oferta", disse Dai Zhihao, diretor-geral da empresa, segundo um dos analistas que participou de reunião fechada com a empresa.

Dai afirmou que espera que a demanda por aço seja resistente no restante do ano, mas alertou que a oferta continua a superar a demanda.

Ele afirmou que o preço do minério de ferro também deve crescer mais rápido que os preços de produtos siderúrgicos no terceiro trimestre, consumindo os lucros das usinas.

Na semana passada, a japonesa Nippon Steel & Sumitomo Metal, maior siderúrgica do mundo em valor de mercado, afirmou que o excesso de capacidade na China vai limitar os ganhos nos preços de aço da Ásia neste ano.

"Nos próximos 12 meses, os lucros das siderúrgicas asiáticas continuarão em nível historicamente baixo dado o persistente excesso de capacidade chinês", escreveu em relatório a agência de classificação de risco Moody's, no início do mês.

A Baosteel não tem meta de fazer fusões ou aquisições na maior indústria siderúrgica do mundo nos próximos anos, mas poderá ampliar o investimento em outros setores, afirmou o presidente do conselho da empresa durante a reunião, segundo o analista.   Continuação...