United Tech faz acordo de US$1 bi com EUA para motores de caças--fontes

segunda-feira, 26 de agosto de 2013 15:04 BRT
 

WASHINGTON, 26 Ago (Reuters) - A Pratt & Whitney, unidade da United Technologies, chegou a um acordo preliminar com o Pentágono para um contrato de produção de 39 motores para o sexto lote de caças militares F-35 Joint Strike Fighters, disseram três pessoas familiarizadas com a situação.

O acordo, que a Pratt esperava fechar mais de um mês atrás, está avaliado em mais de 1 bilhão de dólares, afirmaram as fontes, que não foram autorizadas a falar publicamente.

O Pentágono já havia feito acordo com a Lockheed Martin, que fabrica os jatos, em julho. O governo norte-americano compra as turbinas do jato separadamente da Pratt & Whitney, única fabricante dos motores para aviões de guerra.

As negociações entre a Pratt e oficiais do Pentágono contemplaram apenas motores para o sexto lote, com discussões separadas previstas para o sétimo lote.

O presidente da Pratt, Dave Hess, havia dito à Reuters em junho que esperava chegar a um acordo com o Pentágono sobre o assunto num prazo de 30 dias, refletindo uma redução de custos de menos de 10 por cento.

As fontes disseram que o acordo entre a Pratt e funcionários do governo aconteceu na semana passada, e ainda será anunciado.

Fontes da Pratt e do gabinete responsável pelo F-35 no Pentágono não tinham comentários imediatos sobre o acordo, que terá os termos finalizados nas próximas semanas e meses.

Segundo a Pratt, o custo do motor F135, que a empresa constrói para os caças F-35, caiu cerca de 40 por cento desde 2001, quando o programa começou. Em maio, a empresa fez acordo de 1 bilhão de dólares com o Pentágono para lote de 35 motores.

(Por Andrea Shalal-Esa)