Ações europeias têm maior queda em 2 meses por ameaça de ataque à Síria

terça-feira, 27 de agosto de 2013 14:20 BRT
 

Por Francesco Canepa

LONDRES, 27 Ago (Reuters) - As ações europeias sofreram a maior queda diária em dois meses nesta terça-feira, uma vez que a ameaça de ataque militar contra a Síria levou os investidores a realizarem lucros de algumas das melhores performances recentes e a se segurarem contra perdas futuras.

Os aliados dos Estados Unidos estão esboçando planos para ataques aéreos e outras ações militares contra a Síria, levando investidores a abandonarem as ações em favor de ativos menos expostos às condições econômicas globais, como os títulos governamentais de Alemanha e dos Estados Unidos.

O índice FTSEurofirst 300 fechou em queda de 1,7 por cento, a 1.202 pontos, reduzindo seus ganhos desde o começo de julho para 4,4 por cento. O índice das blue-chips da zona do euro Euro STOXX 50 recuou 2,6 por cento, sua maior queda diária desde junho, para 2.749 pontos, o nível mais baixo em um mês.

O volume no Euro STOXX 50 foi o mais alto desde 16 de agosto, uma vez que 66,7 milhões de ações foram negociadas, 15 por cento a mais do que a média de 90 dias do índice.

O custo de comprar opções para se proteger contra oscilações futuras do mercado, conforme medido pelo índice de volatilidade do Euro STOXX 50 ou VSTOXX, saltou 23,8 por cento, o maior desde fevereiro, para uma máxima de um mês e meio de 22,17 pontos.

"A história da Síria está adicionando muita pressão e agindo como catalisador", afirmou o chefe de estratégia de derivativos do Société Générale, Vincent Cassot

"Caso haja alguma intensificação real no Oriente Médio (o VSTOXX) pode chegar a 30 muito facilmente".

Em LONDRES, o índice Financial Times caiu 0,79 por cento, a 6.440 pontos.   Continuação...