Ibovespa recua 2,6% em clima de aversão ao risco por Síria

terça-feira, 27 de agosto de 2013 17:58 BRT
 

SÃO PAULO, 27 Ago (Reuters) - O principal índice da Bovespa tombou nesta terça-feira afetado por Petrobras e OGX, em clima de aversão a risco devido à escalada da tensão envolvendo a Síria.

O Ibovespa teve queda de 2,6 por cento, a 50.091 pontos. Das 71 ações que compõem o índice, apenas três subiram. O giro financeiro do pregão foi de 7,32 bilhões de reais, segundo dados da bolsa paulista.

A possibilidade de ataque iminente de potências ocidentais contra a Síria para punir o presidente Bashar al-Assad pelo suposto uso de armas químicas contra civis levou investidores a fugirem de aplicações mais arriscadas como ações.

"O índice está refletindo a forte aversão ao risco que prevalece no mundo todo em relação à Síria, o que está mexendo com as principais bolsas, os metais e as commodities", afirmou o economista-chefe da SulAmérica Investimentos, Newton Rosa.

As bolsas europeias tiveram sua maior queda diária em dois meses e os principais índices dos EUA caíram mais de 1 por cento, com investidores buscando refúgio em ativos considerados mais seguros, como os títulos do Tesouro norte-americano.

Segundo o operador Thiago Montenegro, da Quantitas Asset Management, alguns investidores aproveitaram o ambiente mais adverso para dar continuidade à realização de lucros que caracterizou a sessão da véspera.

"Hoje a maioria das quedas foi de papéis de beta alto (mais voláteis), o que indica uma realização, como os de construtoras e os do grupo X (EBX)", afirmou.

Lideraram as perdas do Ibovespa as ações da OGX, petroleira do grupo EBX, em meio à notícia de que a empresa enfrenta dificuldades para vender uma fatia em blocos de petróleo para a malaia Petronas.

Além, disso, a empresa informou nesta terça-feira ter desistido de comprar blocos que arrematou sozinha na 11a rodada de leilões de áreas de petróleo, em maio.   Continuação...