27 de Agosto de 2013 / às 20:59 / 4 anos atrás

Ibovespa recua 2,6% em clima de aversão ao risco por Síria

SÃO PAULO, 27 Ago (Reuters) - O principal índice da Bovespa tombou nesta terça-feira afetado por Petrobras e OGX, em clima de aversão a risco devido à escalada da tensão envolvendo a Síria.

O Ibovespa teve queda de 2,6 por cento, a 50.091 pontos. Das 71 ações que compõem o índice, apenas três subiram. O giro financeiro do pregão foi de 7,32 bilhões de reais, segundo dados da bolsa paulista.

A possibilidade de ataque iminente de potências ocidentais contra a Síria para punir o presidente Bashar al-Assad pelo suposto uso de armas químicas contra civis levou investidores a fugirem de aplicações mais arriscadas como ações.

“O índice está refletindo a forte aversão ao risco que prevalece no mundo todo em relação à Síria, o que está mexendo com as principais bolsas, os metais e as commodities”, afirmou o economista-chefe da SulAmérica Investimentos, Newton Rosa.

As bolsas europeias tiveram sua maior queda diária em dois meses e os principais índices dos EUA caíram mais de 1 por cento, com investidores buscando refúgio em ativos considerados mais seguros, como os títulos do Tesouro norte-americano.

Segundo o operador Thiago Montenegro, da Quantitas Asset Management, alguns investidores aproveitaram o ambiente mais adverso para dar continuidade à realização de lucros que caracterizou a sessão da véspera.

“Hoje a maioria das quedas foi de papéis de beta alto (mais voláteis), o que indica uma realização, como os de construtoras e os do grupo X (EBX)”, afirmou.

Lideraram as perdas do Ibovespa as ações da OGX, petroleira do grupo EBX, em meio à notícia de que a empresa enfrenta dificuldades para vender uma fatia em blocos de petróleo para a malaia Petronas.

Além, disso, a empresa informou nesta terça-feira ter desistido de comprar blocos que arrematou sozinha na 11a rodada de leilões de áreas de petróleo, em maio.

Os papéis da OSX, companhia de construção naval do grupo EBX da qual a OGX é cliente, tombaram 20,8 por cento. A ação não faz parte do Ibovespa.

Como na véspera, construtoras como PDG Realty e Brookfield também foram destaques de baixa.

Recuaram ainda as ações de BM&FBovespa. Na véspera, a norte-americana Direct Edge disse acreditar que pode ser um participante de mercado mais fortalecido no Brasil, após a fusão com a Bats Global Markets. A concorrente tem planos de entrar no mercado brasileiro em 2015.

A preferencial da Petrobras teve desvalorização de 4,07 por cento e a da Vale caiu 1,46 por cento.

Por Priscila Jordão

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below