Geadas voltam a afetar áreas agrícolas do PR; RS escapa

quarta-feira, 28 de agosto de 2013 12:47 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO, 28 Ago (Reuters) - Geou forte no Paraná na madrugada desta quarta-feira, afetando áreas de produção agrícola que já tinham sido prejudicadas por uma geada no final de julho, disseram técnicos agrícolas e meteorologistas, mas não houve problemas relevantes no Rio Grande do Sul, onde a safra de trigo está em desenvolvimento.

Houve registro de temperaturas negativas em vários pontos do Paraná.

"Foi uma madrugada de frio intenso onde destacam-se os registros de 3,9 graus negativos nas estações de Pinhão e na de Inácio Martins. Geadas foram observadas na grande maioria das regiões e, naturalmente, mais extensas no Planalto Central", avaliou o centro de meteorologia paranaense Simepar, em boletim online.

Boa parte das lavouras de trigo no Paraná está em estágio de desenvolvimento mais avançado, vulnerável ao frio intenso. Danos, no entanto, levam diversos dias para se tornarem visíveis para a avaliação detalhada dos técnicos.

O Paraná divide com o Rio Grande do Sul a liderança da produção nacional de trigo. Nesta semana, o governo federal reduziu em 26 por cento a previsão de colheita para a atual safra, em função de prejuízos causados por uma onda de frio no fim de julho.

"Com a geada de hoje, os danos nas lavouras de inverno tendem a se agravar", escreveu o técnico Dirlei Manfio, do Departamento de Economia Rural, em um boletim diário, citando geada forte e moderada na região de Guarapuava, no centro-sul do Estado.

Técnicos da região de Pato Branco também relataram geadas fortes.

"Com certeza os estragos nas culturas de inverno irão intensificar-se, principalmente para a cultura do trigo. Estima-se que de 55 a 60 por das áreas estavam em estádios suscetíveis (vulneráveis ao frio) e foram atingidos", relatou o funcionário do Deral Josemar Bannach Fonseca, em boletim publicado pela entidade.   Continuação...