Lucro do Carrefour sobe com recuperação na França

quinta-feira, 29 de agosto de 2013 07:53 BRT
 

PARIS (Reuters) - O Carrefour, segundo maior varejista do mundo, anunciou uma forte melhora na lucratividade de seu principal negócio na França, elevando as expectativas de que a empresa poderá fazer o mesmo no sul da Europa.

O Carrefour sofreou por anos na Europa, parcialmente devido a sua dependência do formato de hipermercados em meio à mudança de preferência dos consumidores para compras locais ou online.

O presidente-executivo, Georges Plassat, que assumiu o cargo em maio de 2012, respondeu às dificuldades do mercado doméstico da França com redução de custos, renovação de lojas, melhorando a competitividade e simplificando ofertas de preços de produtos.

A maior varejista da Europa disse na quinta-feira que o lucro operacional recorrente do primeiro semestre deste ano subiu 4,9 por cento, para 766 milhões de euros (1 bilhão de dólares) ante expectativa de 771 milhões de euros em uma pesquisa da Reuters com seis analistas.

O número inclui um salto de 75,4 por cento no lucro operacional na França, onde o grupo obtém mais de 40 por cento das vendas.

A margem operacional na França melhorou em 120 pontos base, para 2,8 por cento das vendas, ajudando a elevar ligeiramente a margem do grupo para 2,1 por cento, mas ainda abaixo da mediana dos rivais, que está em 3,4 por cento segundo dados da Thomson Reuters.

O resultado mais forte na França ajudou a conter uma queda de 120 pontos base na lucratividade no restante da Europa, que contabiliza 25 por cento das vendas e foi pressionada pela Espanha e Itália.

Para levantar o dinheiro para defender posições nos principais mercados da Europa Ocidental, China e Brasil e fortalecer seu balanço financeiro, o Carrefour tem saído de vários países não essenciais como Colômbia, Malásia e Indonésia.

Isso ajudou a reduzir a dívida líquida em 3,7 bilhões de euros, para 5,9 bilhões no final de junho.