Mantega: não há previsão para reajuste de combustíveis

quinta-feira, 29 de agosto de 2013 15:58 BRT
 

BRASÍLIA, 29 Ago (Reuters) - O governo não tem previsão para autorizar um reajuste de combustíveis no Brasil, o que não significa que a alta dos preços dos derivados de petróleo não será feita no futuro, disse nesta quinta-feira o ministro da Fazenda, Guido Mantega, ao comentar o orçamento da União de 2014.

Ele disse ainda que um reajuste de combustíveis não deve ser pautado pelo câmbio, especialmente em um momento de volatilidade no mercado, e lembrou que a Petrobras tem a sua própria fórmula para mexer nos preços nas refinarias.

"Reajustes (na Petrobras) não devem incorporar essa volatilidade de câmbio", declarou a jornalistas o ministro, que também é presidente do Conselho de Administração da Petrobras.

O dólar atingiu na semana passada o maior valor em quase cinco anos, levando fontes próximas das discussões sobre o reajuste a afirmarem à Reuters que uma estabilização do dólar se transformou em elemento chave nas negociações de um aumento dos combustíveis.

Como a Petrobras importa petróleo e combustíveis, a alta do dólar afeta negativamente as contas da estatal, que tem vendido combustível no país a preços menores do que os de compra no exterior.

Apesar disso, Mantega afirmou que a Petrobras tem condições de bancar os investimentos previstos no longo prazo.

A Petrobras tem um plano de investimentos de 236,7 bilhões de dólares em cinco anos, o maior programa empresarial de gastos do mundo.

Com foco no Brasil, especialmente no pré-sal, os investimentos da estatal em 2014 devem cair ante 2013.

(Reportagem de Luciana Otoni)