Ambiente para saída de fundos de private equity é desfavorável--ABVCAP

sexta-feira, 30 de agosto de 2013 15:14 BRT
 

Por Natalia Gomez e Guillermo Parra-Bernal

SÃO PAULO (Reuters) - O ambiente para a saída de fundos de private equity das empresas investidas esta desfavorável em 2013, com o mercado de ações pouco atraente para aberturas de capital e investidores internacionais mais cautelosos para aplicar recursos diante da crise externa, o que prejudica as taxas de retorno dos fundos, segundo a ABVCAP, entidade que representa a indústria de private equity.

"Existe um clima de preocupação no setor, pois quanto mais tempo demora para sair do investimento, menor o retorno", disse Clovis Meurer, presidente da ABVCAP à Reuters, durante o 6o Congresso Internacional de Mercados Financeiro e de Capitais.

As ofertas de ações previstas para este ano estão sendo postergadas para o ano que vem, mas a perspectiva para 2014 também não é das mais animadoras, com a expectativa das eleições presidenciais, ameaça de inflação e câmbio, além da incerteza sobre a retomada das ofertas de ações na bolsa, afirmou.

A outra opção para a saída dos fundos é a venda para parceiros estratégicos ou para outros fundos. Neste caso os negócios também estão mais difíceis, pois apesar de terem dinheiro, os investidores estão mais cautelosos, em especial os estrangeiros. "O investidor lá fora muitas vezes posterga a decisão de investir devido ao cenário ruim", disse.

A exceção seria a Ásia, onde Meurer vê forte demanda por alimentos e outros bens que podem ser fornecidos pelo Brasil, enquanto Estados Unidos e Europa são menos promissores.

Apesar da preocupação com o aumento do tempo de maturação dos projetos e consequente redução do retorno, Meurer disse que existem alguns segmentos da economia que oferecem boas oportunidades para os fundos de private equity investir, como educação, saúde, turismo e infraestrutura.

"O grande mérito dos gestores de fundos será justamente achar os nichos certos", disse. Em 2012, a maior parte dos investimentos ficou concentrada no setor de varejo.