Banda larga de Oi, Vivo e TIM ficam abaixo de metas em julho

sexta-feira, 30 de agosto de 2013 15:41 BRT
 

RIO (Reuters) - A Oi foi a única prestadora de serviços de banda larga fixa a não atingir as metas de velocidade e qualidade fixadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em julho, enquanto TIM e Vivo ficaram abaixo do padrão mínimo cobrado pela autarquia em serviços no Rio de Janeiro e em São Paulo, informou a agência nesta sexta-feira.

Foram avaliadas as prestadoras de serviços de banda larga fixa Oi, Net, GVT (do grupo francês Vivendi), Vivo, CTBC/Algar, Ajato, Sercomtel e Cabo Telecom nos Estados de Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Norte.

Todas as operadoras avaliadas atingiram ou superaram as metas de velocidade instantânea de 95 por cento, velocidade média de 60 por cento, latência (período de transmissão de pacotes) de 85 por cento, jitter (variação de latência) de 80 por cento, perda de pacotes de 85 por cento e disponibilidade de 85 por cento.

A Oi, no entanto, registrou no Rio de Janeiro, seu principal mercado, índice de perda de pacotes de 77,72 por cento, enquanto no Paraná a taxa foi de 83,64 por cento. Além disso, a operadora registrou latência de 14,02 por cento, abaixo da meta, no Rio Grande do Norte.

Às 15h36, as ações da Oi exibiam queda de 2,5 por cento, enquanto o Ibovespa perdia 0,12 por cento.

Na banda larga móvel, foram avaliadas as operadoras Claro (da América Móvil), Oi, Vivo e TIM nos Estados de Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

A Vivo ficou abaixo da meta de 95 por cento da taxa de transmissão instantânea no Rio de Janeiro (91,09 por cento) e em São Paulo (93,55 por cento). A TIM também ficou abaixo do objetivo nesse quesito em São Paulo, com 89,51 por cento.

No item taxa de transmissão média, todas as operadoras celulares superaram a meta de 60 por cento, informou a Anatel.

De acordo com a agência, as operadoras que não atingiram as metas serão alvo de procedimentos administrativos para sanções, que podem ser advertências ou multas.

Oi, Vivo e TIM não comentaram o assunto de imediato.

(Por Luciana Bruno)