Indústria de fundos imobiliários pode dobrar em 2 anos, diz Gustavo Franco

sábado, 31 de agosto de 2013 14:39 BRT
 

Por Natalia Gomez

CAMPOS DO JORDÃO, São Paulo, 31 Ago (Reuters) - A indústria de fundos imobiliários no Brasil tem potencial para dobrar de tamanho em dois anos, impulsionada pela manutenção do crescimento do setor imobiliário e pela entrada de investidores que gostam de investir em imóveis mas ainda não atuam no mercado de capitais, avaliou o economista Gustavo Franco.

"Os fundos imobiliários estão atraindo investidores de imóveis que a gente vê pouco no mercado financeiro", disse o estrategista-chefe e presidente do conselho de administração da Rio Bravo Investimentos, que administra este tipo de fundo, durante o 6o Congresso Internacional de Mercados Financeiro e de Capitais, em Campos do Jordão (SP).

"Este produto vai criar maior integração entre o mercado imobiliário e o mercado de capitais."

Neste ano, o segmento cresceu 7 por cento e atingiu 104 mil investidores pessoa física, segundo Franco. Com 107 fundos registrados, o setor tem 30 bilhões de reais em valor de mercado.

Segundo o economista, que foi presidente do Banco Central, não há indícios de que exista uma bolha no mercado imobiliário pois a demanda por imóveis no país é consistente em todas as regiões, e os fundos tem investimentos diversificados que tendem a proteger os investidores de períodos de baixa, em sua avaliação.

 
A indústria de fundos imobiliários no Brasil tem potencial para dobrar de tamanho em dois anos, impulsionada pela manutenção do crescimento do setor imobiliário e pela entrada de investidores que gostam de investir em imóveis mas ainda não atuam no mercado de capitais, avaliou o economista. 23/03/2007 REUTERS/Rickey Rogers