Balança comercial no ano tem pior déficit em 18 anos

segunda-feira, 2 de setembro de 2013 19:00 BRT
 

BRASÍLIA, 2 Set (Reuters) - A balança comercial registrou déficit de 3,764 bilhões de dólares nos oito primeiros meses do ano, o maior desde 1995, provocado pelo elevado saldo negativo da conta petróleo e pela queda nas vendas de produtos brasileiros no exterior.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, no acumulado do ano até agosto as exportações atingiram 156,655 bilhões de dólares, com queda de 1,3 por cento pela média diária das operações em relação a igual período do ano passado, com a fraca demanda internacional pesando negativamente sobre todas as categorias de produtos vendidos pelo país.

As importações, no período, ficaram em 160,419 bilhões de dólares, 10 por cento maiores na comparação com igual período do ano anterior, também pela média diárias das operações.

O principal fator de deterioração do saldo comercial este ano continua sendo a conta petróleo e derivados que registra um déficit de 16,368 bilhões de dólares de janeiro a agosto.

Mesmo com esses dados, o secretário de Comércio Exterior da pasta, Daniel Godinho, disse que o saldo negativo na balança é conjuntural e tende a ser reduzido.

"Esperamos para os próximos meses que haja aumento da produção e das exportações de petróleo, além da redução das importações da commodity", disse.

Ele disse esperar que a balança comercial encerre 2013 com um pequeno superávit, caso o dólar se mantenha no atual patamar de valorização em relação ao real e, também, caso haja diminuição no déficit da conta petróleo.

"Se o câmbio se mantiver no patamar atual é possível que haja empate na balança comercial. No curto prazo, a tendência é de redução das importações e essa redução se concentra tradicionalmente em bens de consumo e, no médio prazo, a tendência é de aumento das exportações", acrescentou.

Apesar do saldo negativo no acumulado do ano, a balança teve superávit em agosto de 1,226 bilhão de dólares. Mesmo positivo é o pior resultado para o mês desde 2001, quando o saldo foi de 628 milhões de dólares.   Continuação...