ATG e RiskOffice se unem para clearing no Brasil

segunda-feira, 2 de setembro de 2013 17:33 BRT
 

SÃO PAULO, 2 Set (Reuters) - O Americas Trading Group (ATG), que quer operar uma bolsa de valores no país em 2014, fez acordo com a consultoria RiskOffice para criar uma clearing, câmara que presta serviços de compensação e liquidação de operações no mercado de capitais.

Um terceiro investidor está em negociações adiantadas para tornar-se sócio do projeto, segundo o vice-presidente de operações da RiskOffice, Gustavo Melo.

"Possivelmente teremos um sócio, a depender do capital exigido ou de algum expertise que seja estrategicamente importante", afirmou à Reuters o executivo, acrescentando que as conversas ocorrem em sigilo.

A composição acionária da clearing ainda não está definida, mas ATS e RiskOffice deterão o controle.

Segundo Melo, o capital mínimo exigido pelo Banco Central para criar a clearing é de 30 milhões de reais para suportar o risco do negócio, mas as sócias ainda não conversaram com a autoridade monetária sobre o assunto. "Não sabemos quanto será exigido de fato", afirmou.

O executivo disse que a RiskOffice, especializada em consultoria e avaliação de risco, já detém a tecnologia e conhecimento técnico --modelos, software e bancos de dados-- necessários para a gestão de risco da clearing.

"É uma questão de empacotar os componentes de que dispomos para aplicação específica da clearing. Boa parte dos investimentos está dentro de casa", disse. As áreas de compensação e liquidação utilizarão a estrutura do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SBP), explicou.

Outra prioridade neste momento é selecionar um presidente para a clearing, que será sediada no Rio de Janeiro, disse Melo.

Num primeiro momento, a clearing terá foco na negociação de ações, assim como a nova bolsa, que deve estar pronta em 2014.   Continuação...