Chefe do Deutsche Bank diz que consolidação do setor é inevitável

quarta-feira, 4 de setembro de 2013 08:50 BRT
 

FRANKFURT (Reuters) - A consolidação no setor bancário é inevitável, disse o co-presidente-executivo do Deutsche Bank, Anshu Jain, nesta quarta-feira, afirmando que os custos dos processos judiciais e uma série de novas regras mudam a lógica econômica da indústria de serviços financeiros.

"Há uma clara consolidação da indústria e há uma simplificação do modelo de negócio", disse Jain em uma conferência bancária.

Os bancos que vão sobreviver daqui para frente serão instituições regionais, tais como os bancos alemães de poupança, ou bancos com modelos de negócios focados e uma presença global, afirmou.

"Existe uma tremenda oportunidade para ganhar participação de mercado organicamente, mas, francamente, de maneira não-orgânica também", disse Jain.

Perguntado qual será o papel do Deutsche Bank neste cenário, Jain afirmou: "Eu creio que fui muito claro ao dizer que há muito trabalho adiante para a indústria bancária e para o Deutsche Bank em particular."

Embora a consolidação deva continuar, Jain disse que o setor ainda carece de um mecanismo para tornar grandes instituições financeiras mais seguras.

"Não vou fingir que o modelo 'grande demais para falir' (too big to fail, em inglês) tenha sido resolvido", afirmou Jain, referindo-se ao problema de proteger os contribuintes para que não arquem com o pagamento de resgates dos bancos.

Embora algumas instituições sejam grandes demais para falir, Jain disse que há necessidade de escala para que os bancos possam operar em uma base global.

"Há uma escala mínima para a eficiência. É um pouco enganador pensar que você pode ser pequeno e globalmente competitivo", disse.