Importações chinesas de soja podem diminuir após recordes--mercado

quinta-feira, 5 de setembro de 2013 13:59 BRT
 

PEQUIM, 5 Set (Reuters) - As compras chinesas de soja no exterior avançaram para mais de 7 milhões de toneladas em julho, subindo para uma máxima recorde pelo segundo mês consecutivo, com carregamentos brasileiros chegando em grande volume ao país asiático, o maior importador global da oleaginosa.

Os desembarques de soja devem permanecer relativamente fortes no resto do ano, com os fabricantes de ração aumentando a produção, mas as compras chinesas podem recuar brevemente entre agosto e setembro, em meio a um excesso de grãos importados e vendas das reservas estatais.

Os futuros da soja negociados em Chicago, referência global, registravam alta de mais de 1 por cento nesta quinta-feira, apoiados pelo recorde de compras da China, estoques apertados nos EUA e coberturas de vendidos.

A China importou 7,2 milhões de toneladas de soja em julho, 22,7 por cento a mais do que as 5,87 milhões de toneladas há um ano, mostraram dados da Administração Geral da Alfândega nesta quinta-feira.

"Nossas importações em março e abril foram muito pequenas, o que levou às altas em junho e às importações de julho", disse Guan Xiangfeng, analista da Shanghai CIFCO Futures, lembrando dos atrasos para embarque no início do escoamento da safra do Brasil no começo do ano.

Durante os primeiros sete meses do ano, as importações haviam totalizado 34,69 milhões de toneladas, quase em linha com as 34,92 milhões de toneladas embarcadas há um ano, mostraram dados da alfândega.

As chegadas devem diminuir entre agosto e setembro, disseram operadores, com as fábricas de ração tendo que lidar com as importações recorde.

"Há excesso de oferta no mercado interno com a chegada das remessas atrasadas", disse um operador em Cingapura, referindo-se às cargas brasileiras que haviam sido apanhadas em um congestionamento portuário no início do ano

"Eu acho que as importações em agosto e setembro serão menores."   Continuação...