ENTREVISTA-Pragas agrícolas preocupam brasileiros às vésperas do plantio

sexta-feira, 6 de setembro de 2013 08:40 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO, 5 Set (Reuters) - Às vésperas do início do plantio oficial da soja nas principais áreas de cultivo, agricultores brasileiros estão apreensivos com a ausência de autorização para defensivos que possam ajudar a combater lagartas e fungos que causaram prejuízos bilionários na safra passada, disse o presidente da associação nacional de produtores.

"Algumas coisas foram graves no ano passado e podem se agravar neste ano. É o caso da lagarta helicoverpa, que está muito agressiva, e a ferrugem", disse à Reuters o presidente da Associação Brasileira de Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), Glauber Silveira.

A ferrugem asiática é um fungo que ataca as folhas do pé de soja, reduzindo a produtividade da planta. Segundo Silveira, na última safra a perda com a doença ficou em 1,5 a 2 sacas por hectare no país, causando perdas de 2,5 bilhões de reais em receita.

Já a helicoverpa é uma lagarta que até recentemente estava restrita às lavouras de algodão, mas atacou com força plantações de soja na safra 2012/13, causando grandes prejuízos em todo o país, principalmente no oeste da Bahia.

Em março e abril, já no fim da safra, as autoridades federais autorizaram emergencialmente a importação de tipos adicionais de inseticidas para combater a lagarta. O problema, segundo Silveira, é que apesar de autorizada a entrada no país, nunca houve regulamentação para o uso dos produtos nas lavouras.

"A importação foi autorizada, mas não foi autorizado o uso. Não adiantou muito", reclamou.

O assunto foi discutido em uma reunião na quarta-feira, na Casa Civil, em Brasília.

O presidente da Aprosoja Brasil ouviu da ministra Gleisi Hoffmann o comprometimento de que o assunto é prioridade para o governo, e deverá ser resolvido.   Continuação...