Ações dos EUA fecham estáveis, mas preocupações com Síria permanecem

sexta-feira, 6 de setembro de 2013 17:40 BRT
 

Por Chuck Mikolajczak

NOVA YORK, 6 Set (Reuters) - As ações dos Estados Unidos fecharam quase estáveis em uma sexta-feira marcada por alta volatilidade devido a dados sobre o mercado de trabalho mais fracos do que o esperado e às persistentes preocupações sobre possíveis ações militares do Ocidente contra a Síria.

O índice Dow Jones recuou 0,10 por cento, para 14.922 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve desvalorização de 0,01 por cento, para 1.655 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 0,03 por cento, para 3.660 pontos.

O relatório de folhas de pagamento de agosto mostrou geração de 169.000 postos de trabalho, menos do que a expectativa de 180 mil, e o dado para julho foi revisado para baixo. A taxa de desemprego caiu para 7,3 por cento, menor nível desde dezembro de 2008, embora o declínio reflita uma queda na fatia de norte-americanos com idade para trabalhar empregados ou em busca de emprego.

Muitos analistas dizem que apesar dos números fracos, o Fed não vai ajustar seus planos para diminuir seu programa de estímulo, conhecido como "quantitative easing", que atualmente responde pela compra de 85 bilhões de dólares ao mês em títulos.

A presidente do Fed de Kansas City, Esther George, que tem defendido uma redução no programa o ano todo, disse que diminuir o ritmo de aquisições para 70 bilhões de dólares ao mês pode ser "um próximo passo apropriado na direção de normalizar a política monetária".

Uma redução de em torno de 15 bilhões de dólares estaria em linha com as expectativas do mercado, que previa uma redução mais agressiva há alguns meses.

"Ainda sou um fã da 'redução light' --não vai ser o número inicial que ouvimos em junho, mas ainda é algo", disse o diretor de gestão do Wedbush Equity Management, Stephen Massocca.

"O que é importante destacar é que o QE foi implementado para uma economia muito ruim. E não é o caso agora", emendou.

A maioria dos operadores primários dos EUA esperam que o Fed anuncie em uma reunião daqui a menos de duas semanas que vai reduzir o montante de compras de bônus usado para promover a economia, de acordo com pesquisa Reuters.