OGX impulsiona alta e Ibovespa tem melhor semana em quase 2 anos

sexta-feira, 6 de setembro de 2013 18:00 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO, 6 Set (Reuters) - O principal índice da Bovespa subiu mais de 2 por cento nesta sexta-feira, amparado na forte valorização dos papéis da petroleira OGX e com investidores mostrando maior apetite por risco, após o relatório de emprego dos Estados Unidos vir mais fraco que o esperado.

O Ibovespa avançou 2,67 por cento, para 53.749 pontos, tendo testado o patamar dos 54 mil pontos durante a sessão. O giro financeiro do pregão foi de 8,1 bilhões de reais.

Na semana, o ganho foi de 7,48 por cento, o maior ganho semanal desde outubro de 2011. Dados robustos da atividade industrial da China e da Europa e especulações de um iminente aumento dos preços dos combustíveis, que impulsionaram os papéis da Petrobras foram chave para a performance do índice na semana.

A disparada da ação da OGX, que subiu 26,8 por cento para 0,52 real nesta sexta-feira, foi responsável mais da metade da valorização do índice no dia. A OGX informou, antes da abertura do pregão, que exerceu opção que obriga seu acionista controlador, Eike Batista, a injetar gradualmente 1 bilhão de dólares na companhia.

A opção de venda havia sido acertada com o empresário em outubro do ano passado e determina a subscrição de novas ações ordinárias da OGX ao preço de 6,30 reais por papel.

O setor de construção também colaborou para levantar o índice, com destaque para PDG Realty, MRV e Gafisa, em um dia de queda das taxas de juros futuros.

A ação da Gol subiu 13,76 por cento, em meio a especulações sobre uma ajuda do governo ao setor aéreo e à queda do dólar. A valorização do real é favorável para a empresa, que tem diversos custos cotados em moeda estrangeira.

A preferencial da Petrobras avançou 1,25 por cento, com o mercado ainda apostando que um reajuste dos combustíveis ocorrerá em breve. "O governo tem uma boa janela para fazer isso agora que a inflação deu uma arrefecida no curto prazo e ainda não chegou o ano de eleição", afirmou o gestor Rafael Barros, da Humaitá Investimentos.   Continuação...