8 de Setembro de 2013 / às 16:18 / 4 anos atrás

Governo dos EUA teria espionado Petrobras-- TV Globo

Glenn Greenwald, jornalista americano que vazou documentos de espionagem dos EUA, na Câmara dos Deputados, em Brasília. O programa "Fantástico", da TV Globo, vai mostrar denuncias de espionagem pelo governo americano na Petrbrás, na noite deste domingo. 06/08/2013 REUTERS/Ueslei Marcelino

Por Asher Levine

SÃO PAULO, 8 Set (Reuters) - O governo dos Estados Unidos teria espionado a Petrobras, de acordo com o site da rede Globo.

O canal de televisão, que há uma semana apresentou documentos alegando que a Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) interceptou comunicações entre os presidentes do Brasil e do México, planeja descrever na noite deste domingo a espionagem dos norte-americanos na maior companhia brasileira, de acordo com propagandas.

A Globo não forneceu mais detalhes sobre a espionagem.

As revelações, como aquelas apresentadas no programa “Fantástico” na semana passada, foram fornecidas por Glenn Greenwald, um blogueiro, colunista e ativista de liberdades civis norte-americano, que vive no Rio de Janeiro.

Greenwald trabalhou próximo ao ex-analista da NSA, Edward Snowden, para divulgar um conjunto de informações de inteligência que colocou foco na extensão da espionagem nos Estados Unidos nas telecomunicações domésticas e no exterior.

Por email na manhã deste domingo, Greenwald se recusou a discutir as alegações da Petrobras até que o “Fantástico” vá ao ar. Autoridades da Petrobras não foram encontradas para comentar.

A reportagem sobre a Petrobras deve complicar ainda mais um impasse diplomático tenso entre os EUA e o Brasil, a maior economia da América Latina, provocada pela suposta espionagem da NSA às chamadas telefônicas privadas e e-mails da presidente Dilma Rousseff.

O Brasil exigiu um pedido de desculpas formal e assessores de Dilma já disseram que a questão poderia inviabilizar uma visita de Estado planejada para outubro, a única oferecida por Washington a um líder estrangeiro este ano.

As tensões na semana passada levaram a uma reunião improvisada entre Dilma e o presidente dos EUA, Barack Obama, durante a reunião do G20, dos líderes das principais economias, na Rússia. Após a reunião, Obama disse que iria investigar as alegações.

Autoridades norte-americanas, incluindo Obama em uma viagem ao Brasil em 2011, e uma visita em junho do vice-presidente Joe Biden, citaram a importância de novas grandes descobertas de petróleo no país e assinalaram intenções de trabalhar em estreita colaboração com o país para as necessidades energéticas do futuro.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below