Laticínio China Huishan planeja levantar até US$1,3 bilhão em IPO

segunda-feira, 9 de setembro de 2013 15:02 BRT
 

Por Elzio Barreto e Michael Flaherty

HONG KONG, 9 Set (Reuters) - O Laticínio China Huishan Dairy planeja levantar até 1,3 bilhão de dólares com uma oferta pública inicial (IPO) em Hong Kong para financiar sua expansão, em meio à expectativa de que a segunda maior economia do mundo se equipare a seus pares na Ásia no consumo de leite em pó infantil, iogurte e leite fresco.

Investidores vêm comprando ações de laticínios como o China Modern e o China Mengniu apostando que o enorme mercado consumidor do país alimente o apetite de longo prazo por produtos lácteos.

O consumo per capita de derivados do leite na China é de 23 quilos, menos da metade do apresentado por vizinhos asiáticos, segundo a Macquarie.

Impactada primeiramente por um escândalo com leite em 2008, a preocupação pública com segurança alimentar vinha segurando a demanda e o crescimento da indústria.

Para investidores, o Huishan Dairy, que fica no nordeste da China, chama atenção pelo fato de controlar diversas etapas do processo de produção --do plantio de grama ao processamento e desenvolvimento do leite--, com maior controle sobre a qualidade.

Entre os atuais investidores do Huishan está o bilionário de Hong Kong Cheng Yu Tung, cuja família controla o império de joias Chow Tai Fook.

O Laticínio Huishan irá oferecer 3,79 bilhões de ações na oferta, numa faixa de preço de 2,28 a 2,67 dólares de Hong Kong, avaliando o negócio em até 10,12 bilhões de dólares de Hong Kong, afirmou o IFR, uma publicação da Thomson Reuters.

O aumento de capital permitirá que o Huishan, que está em operação há mais de 60 anos, aumente seu rebanho de vacas e eleve a produção.

O Huishan é o segundo maior produtor do país de leite cru, com uma cota de mercado de 1 por cento, atrás da participação de 1,3 por cento do Modern, estima a Macquarie.

Os principais bancos de investimento que coordenam a oferta são o Deutsche Bank, HSBC, Goldman Sachs e UBS. O CIMB, Investec Capital Ásia e Jefferies também vão atuar como bancos coordenadores.