9 de Setembro de 2013 / às 18:23 / em 4 anos

Williams, do Fed diz que ainda não há decisão sobre redução do estímulo na próxima semana

Por Ann Saphir

SAN FRANCISCO, 9 Set (Reuters) - O presidente do Federal Reserve de San Francisco, John Williams, disse nesta segunda-feira que ainda não decidiu se apoiará uma redução no ritmo de compra de 85 bilhões de dólares mensais de títulos pelo banco central norte-americano na semana que vem, quando integrantes do Fed se reúnem para discutir suas opções em Washington.

"Eu ainda estou 100 por cento de acordo com o cronograma do chairman (do Fed, Ben) Bernanke" para começar a diminuir o programa de aquisição de ativos ainda neste ano e concluí-lo no ano que vem, disse Williams a jornalistas após discurso sobre bolhas de ativos na reunião anual da Associação Nacional de Economia Empresarial.

Se a redução do estímulo começará neste mês ou em algum momento adiante é menos importante do que o fato de que o Fed tem um plano geral para reduzir o programa, acrescentou.

"Vou à reunião com a mente aberta para ouvir meus colegas e discutir", disse Williams sobre a reunião de setembro.

A maioria dos economistas em Wall Street espera que o Fed comece a reduzir o programa na semana que vem. Mas um relatório do governo mostrando que a economia norte-americana não gerou tantos postos de trabalho quanto o esperado em agosto levou alguns investidores a duvidar dessa expectativa.

O Fed disse que continuará a comprar ativos até que a perspectiva para o mercado de trabalho melhore significativamente.

"Eu acho que é bastante importante...não exagerar, ou colocar peso demais, em dados de um mês, sejam números fortes ou fracos", afirmou Williams. "Continuamos a nos aproximar desse indicador de melhora significativa que estabelecemos no ano passado".

Independentemente de quando o Fed começar a reduzir o programa, os juros continuarão baixo por provavelmente mais dois anos, sugeriu Williams.

O Fed disse que vai manter os juros quase zerados pelo menos até que a taxa de desemprego, atualmente em 7,3 por cento, recue para 6,5 por cento.

Williams disse que a taxa de desemprego chegará a esse patamar no início de 2015, mas afirmou que o Fed provavelmente não começará a elevar os juros até o segundo semestre de 2015.

A política fiscal norte-americana e a fraqueza na Europa estão segurando a economia dos EUA, disse Williams. Mas o risco europeu diminuiu desde o ano passado, acrescentou ele, e o Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano provavelmente crescerá no ritmo de 3 por cento no ano que vem. A projeção é bem superior ao crescimento de 2 por cento que ele vê como o potencial de longo prazo da economia e suficiente para continuar a reduzir a taxa de desemprego.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below