Asmussen, do BCE, vê risco de contágios provenientes de aperto do Fed

terça-feira, 10 de setembro de 2013 11:57 BRT
 

BRUXELAS, 10 Set (Reuters) - Os efeitos de contágio da redução do estímulo do banco central dos Estados Unidos correm o risco de serem maiores agora do que em 1994, e esse episódio destaca a importância de comunicar claramente as estratégias de saída de políticas expansionistas, disse o membro do Conselho Executivo do Banco Central Europeu Joerg Asmussen.

O Federal Reserve, banco central dos EUA, deve começar a reduzir lentamente suas compras de títulos quando realizar reunião neste mês, começando a frear uma política que ajudou a estimular a recuperação na maior economia do mundo e a sustentar os mercados financeiros.

"No início de 1994, quando a recuperação norte-americana ganhou força, o Fed começou um ciclo de aperto e os mercados de títulos entraram em colapso não só nos EUA, mas também mundo afora", disse Asmussen nesta terça-feira.

"Se os contágios foram grandes em 1994, podemos esperar que sejam maiores ainda hoje em um mundo ainda mais profundamente interligado", acrescentou ele em texto do discurso feito em Bruxelas.

Embora economistas acreditem que o Fed ainda possa anunciar uma redução de suas compras mensais de títulos na reunião de política de 17 e 18 de setembro, eles acreditam que os dados fracos de crescimento de empregos aumentaram as chances de um adiamento.

Mesmo se o Fed começar a reduzir o estímulo, ainda teria uma política monetária altamente expansionista com as taxas de juros estacionadas perto de zero.

Duas lições podem ser tiradas do episódio de 1994, disse Asmussen: em primeiro lugar, a clareza das "funções de reação" dos bancos centrais --a maneira como eles respondem a mudanças em dados econômicos-- é crucial, e em segundo lugar, as expectativas de inflação têm que ser bem ancoradas.

Asmussen também disse que o BCE pode adotar mais medidas de afrouxamento: "O BCE continua pronto para agir se as condições se deteriorarem", disse ele.

(Reportagem de John O'Donnell)