Nestlé pode vender fatia de US$ 23 bi na L'Oreal no ano que vem

terça-feira, 10 de setembro de 2013 16:24 BRT
 

PARIS, ZURIQUE, 10 Set (Reuters) - A Nestlé, maior empresa de alimentos do mundo, está sob pressão para deixar claras suas intenções com a L'Oreal, sua parceira de 40 anos, quando os laços que unem as empresas se desfizerem no ano que vem.

A decisão está nas mãos do presidente Peter Brabeck, que está tentando reposicionar a Nestlé longe da dependência de alimentos processados para produtos de maior margem com perfil mais ligado à saúde, nutrição e bem-estar.

É possível argumentar que os shampoos e cosméticos da L'Oreal são compatíveis com esta missão, mas oito dos nove analistas que conversaram com a Reuters pensam que provavelmente a Nestlé venderá sua participação na L'Oreal, quando as restrições para isso terminarem em abril.

Eles avaliam que a companhia pode vender a fatia, avaliada em 23 bilhões de euros (30 bilhões de dólares), em tranches e usar o dinheiro em algo central para seu próprio negócio ou retornar os recursos para os acionistas.

"Se os investidores quiserem investir na L'Oreal, eles podem investir diretamente na L'Oreal", disse um analista sob condição de anonimato. "Eles não precisam da Nestlé para isso."

O grupo suíço de alimentos é o maior acionista da empresa francesa de cosméticos desde 1974, quando a herdeira da L'Oreal, Liliane Bettencourt, agora a mulher mais rica do mundo, confiou quase metade de sua participação para a Nestlé por medo de que fosse nacionalizada se os socialistas chegassem ao poder.

Este foi um ótimo investimento para a Nestlé, uma vez que as ações da L'Oreal tiveram retorno anual de 15 por desde então. As ações da Nestlé tiveram retorno de 11,6 por cento. A Nestlé detém 29,5 por cento e a Bettencourt possui 30,5 por cento da L'Oreal.

(Por Astrid Wendlandt e Silke Koltrowitz)