Barroso, da UE, pede à Europa que finalize união bancária

quarta-feira, 11 de setembro de 2013 10:10 BRT
 

Por Claire Davenport

ESTRASBURGO, França, 11 Set (Reuters) - O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, declarou nesta quarta-feira que a recuperação econômica está à vista após quase quatro anos de crise de dívida na Europa, e pediu aos governos que ajam mais rapidamente para finalizar a união bancária.

No seu último discurso do "Estado da União" antes das eleições do Parlamento europeu em maio, Barroso não ofereceu novas propostas políticas mas fez apelo aos países membros para que redobrem os esforços para controlar a agitação financeira que levou a uma recessão prolongada e desemprego alto.

"O que nós podemos e temos que fazer primeiro e de modo crucial é finalizar a união bancária. É a primeira e mais urgente maneira de finalizar nossa união", disse ele a autoridades em Estrasburgo.

As declarações dele foram uma provocação implícita à Alemanha, a principal potência da União Europeia, que vem trabalhando para limitar o alcance da supervisão bancária única e desacelerar a busca por um fundo e autoridade de resolução bancária únicos, citando restrições legais e o desejo de poupar seus contribuintes das responsabilidades para com os bancos de outros.

Autoridades da UE e muitos economistas do mercado financeiro dizem que é crucial fortalecer o sistema bancário abalado pela crise e abrir caminho para empréstimo novamente a fim de estimular o crescimento.

Mas os esforços para implementar a mudança chegaram a um impasse antes das eleições alemãs em 22 de setembro, e há dúvidas sobre se Berlim dará ímpeto ao projeto mesmo depois de um novo governo assumir o poder.