Société Générale estuda vender braço de private banking na Ásia

quinta-feira, 12 de setembro de 2013 10:22 BRT
 

Por Saeed Azhar e Denny Thomas

CINGAPURA/HONG KONG, 12 Set (Reuters) - O banco francês Société Générale está estudando a venda de seu braço de gestão de fortunas na Ásia, o chamado private banking, buscando sair de um mercado no qual pequenos gerentes estão sendo atingidos pela concorrência e por elevação de custos, disseram pessoas familiarizadas com o assunto à Reuters.

A divisão baseada em Cingapura pode ser vendida por cerca de 600 milhões de dólares, afirmaram estas mesmas pessoas, embora o preço real de venda ainda tenha de ser determinado, podendo ser maior. As fontes não quiseram ser identificadas pois as discussões são confidenciais.

Uma porta-voz do banco em Paris não comentou o caso.

O Société Générale é a terceira instituição financeira global que busca vender seu braço de gestão de fortunas na Ásia nos últimos cinco anos. Lidar com a crescente ascensão de milionários e bilionários tem sido um desafio para bancos privados menores, que carecem da base de ativos para competir com os grandes bancos globais e instituições locais.

O Standard Chartered Bank, o United Overseas Bank de Cingapura e o DBS Group Holding estão entre as empresas que podem expressar interesse no negócio, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto.

Nenhum dos três bancos comentou o caso.

Embora o Société Générale não revele detalhes da divisão de private banking na Ásia, o negócio pode somar de 10 a 12 bilhões de euros em ativos sob gestão, de acordo com Jean-Pierre Lambert, analista da Keefe, Bruyette & Woods.

A potencial venda seria mais um passo do banco francês em uma série de iniciativas para reduzir os custos e aumentar os lucros.

No começo do ano, o Société Générale vendeu uma unidade no Japão ao Sumitomo Mitsui Banking por um valor não revelado.