Abalada por recessão, Grécia atinge mais um recorde de desemprego

quinta-feira, 12 de setembro de 2013 10:56 BRT
 

ATENAS, 12 Set (Reuters) - A taxa de desemprego na Grécia atingiu um recorde de 27,9 por cento em junho, mostraram dados divulgados nesta quinta-feira, com o mercado de trabalho continuando a encolher em meio à profunda recessão decorrente das políticas de austeridade ligadas ao resgate do país.

A taxa de desemprego subiu de 27,6 por cento em maio, e foi mais do que o dobro da taxa média da zona do euro de 12,1 por cento em julho. A leitura mais recente foi a mais alta desde que o serviço de estatísticas grego Elstat começou a publicar dados mensais de desemprego, em 2006.

Esse dado, no entanto, tende a ficar defasado em relação a outros indicadores de crescimento, que o economista do Eurobank Platon Monokroussos disse estarem pintando um quadro um pouco menos sombrio.

"Os dados recentes para a variação anual do emprego e novas contratações do setor privado sugerem que a taxa de desemprego pode estar se aproximando de um pico cíclico", disse ele.

O governo também tem sugerido que há sinais preliminares de que a Grécia já atingiu o fundo do poço.

O primeiro-ministro, Antonis Samaras, disse na semana passada acreditar que a contração de 2013 seria menor do que o previsto e que a crise econômica aliviaria no próximo ano.

O diário financeiro Naftemporiki informou nesta quinta-feira que o Ministério das Finanças prevê agora uma contração de 3,8 por cento este ano, contra a previsão de 4,2 por cento feita pelos credores internacionais.

A taxa de desemprego, por sua vez, mais do que triplicou desde 2008, o início de uma recessão de seis anos que dizimou cerca de um quarto da economia da Grécia.

O desemprego é uma grande dor de cabeça para o governo, conforme ele se esforça para atingir metas fiscais e realizar reformas estruturais exigidas pelos credores internacionais.   Continuação...