13 de Setembro de 2013 / às 12:06 / em 4 anos

Gol acelera aumento de receita por assento em agosto, ações sobem

SÃO PAULO, 13 Set (Reuters) - A companhia aérea Gol divulgou nesta sexta-feira que a receita por assento ofertado em seus voos cresceu 24 por cento em agosto sobre o mesmo mês do ano passado, apoiada por nova redução de oferta e aumento de preços de passagens.

Os dados faziam as ações da empresa dispararem mais de 5 por cento.

A expansão foi a mais pronunciada desde pelo menos maio do ano passado, enquanto o yield, indicador de preços de passagens aéreas, subiu 33 por cento em agosto sobre um ano antes, ficando entre 24 e 24,5 centavos de real.

O crescimento da receita, indicador conhecido no setor como “Prask”, foi bem superior ao incremento de 9 por cento no preço médio do combustível sobre o mesmo período do ano passado, informou a empresa, que aposta em uma tendência de alta nos preços dos combustíveis e lubrificantes nos próximos meses. Em julho, a expansão anual do Prask havia sido de 18 por cento.

“O crescimento de 24 por cento no Prask veio muito melhor do que nossas estimativas e do que previa o consenso do mercado”, afirmaram analistas do Credit Suisse em relatório. Segundo eles, a Gol tem grandes chances de entregar resultados prometidos para o ano, apesar da recente deterioração do cenário macroeconômico.

Às 11h24, as ações da Gol exibiam alta de 5,99 por cento, a 10,97 reais, enquanto o Ibovespa mostrava oscilação positiva de 0,31 por cento.

Segundo os analistas do Credit Suisse, os papéis da companhia aérea acumulam valorização de cerca de 20 por cento desde a semana passada, em meio a expectativas de que o governo poderá anunciar medidas de apoio ao setor aéreo nos próximos dias.

Em agosto, as principais companhias aéreas do Brasil, incluindo a Gol, apresentaram ao governo federal um conjunto de propostas de incentivo afirmando que o dólar a 2,30 reais “acende sinal vermelho” no setor.

O conjunto de sugestões inclui desoneração de PIS/Cofins para o setor aéreo, ampliação de subsídio a tarifas aeroportuárias e unificação da alíquota de ICMS sobre o querosene de aviação. O setor também pede mudanças na forma como o preço do combustível é calculado, hoje fortemente atrelado ao dólar.

DEMANDA VS OFERTA

Diante de um crescimento lento da economia e da estratégia de aumento de rentabilidade da empresa, a demanda de passageiros por voos do grupo caiu 11,5 por cento sobre agosto de 2012 e 12,2 por cento na comparação com julho. Já a oferta, recuou 5,1 e 6,1 por cento, segundo as mesmas comparações.

No segmento doméstico, a Gol afirmou que a demanda caiu 13,8 por cento em agosto sobre um ano antes. Nos voos internacionais, porém, houve crescimento de 17 por cento, apesar da desvalorização do real contra o dólar.

Já em termos de oferta, o segmento doméstico apurou queda anual de 7,6 por cento em agosto enquanto no internacional houve salto de 22,4 por cento.

Porém, na comparação mensal, o segmento internacional mostrou recuos de dois dígitos tanto na oferta quanto na demanda, de 19,2 e 28,7 por cento, respectivamente. No doméstico, as quedas foram menos intensas, de 4,3 por cento para a oferta e de 10 por cento na demanda.

Em junho, a Gol ampliou sua meta de corte de oferta no mercado doméstico de 7 para 9 por cento em 2013, em resposta ao fraco desempenho da economia e aumento dos custos com combustíveis.

Apesar dos esforços de corte de oferta, o grupo encerrou agosto com uma taxa de ocupação de 66,2 por cento ante 71 por cento no mesmo período de 2012.

Por Alberto Alerigi Jr.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below