Conab vende 85,6% das opções de café; qualidade exigida afasta produtor

sexta-feira, 13 de setembro de 2013 17:47 BRT
 

Por Gustavo Bonato e Roberto Samora

SÃO PAULO, 13 Set (Reuters) - O primeiro leilão de contratos de opção de venda de café realizado nesta sexta-feira pelo governo federal não teve disputa e somente os contratos disponíveis para Minas Gerais e São Paulo, os dois Estados de maior produção de arábica, foram vendidos na totalidade.

Na visão de corretores, pequenos cafeicultores fora do eixo São Paulo-Minas foram afugentados por problemas na qualidade da safra e pelas regras do certame, que dificultaram a participação de um número maior de produtores.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) ofereceu, ao todo, 10 mil contratos, equivalentes a 1 milhão de sacas de café arábica, dentro de um programa que totaliza 3 milhões de sacas de 60 kg e que tem como objetivo sustentar os preços do café, que oscilam perto de uma mínima de quatro anos.

Do total ofertado, a Conab vendeu 85,6 por cento dos lotes, com demanda por todos os contratos em Minas Gerais (7 mil lotes) e em São Paulo (1,4 mil lotes). Mas os contratos para produtores da Bahia, Espírito Santo e Paraná não foram arrematados na totalidade.

No Espírito Santo e Paraná, as chuvas em junho e julho prejudicaram a qualidade dos grãos --o que pode ter mantido produtores afastados do leilão, por receio de não terem volume suficiente dentro da qualidade exigida para entregar ao governo, disseram corretores.

"Choveu muito em junho. Os primeiros cafés que recebi do Paraná este ano são muito sofríveis. Para o pequeno produtor, é complicado participar de um leilão como esse", disse o diretor da corretora Carvalhaes, Eduardo Carvalhaes, de Santos (SP).

Na opinião do corretor Fernando Mellão Martini, de Espírito Santo do Pinhal, no interior de São Paulo, o leilão foi bom, mas os negócios foram dominados por cooperativas.

"A cooperativa acaba se defendendo, se não tem o café do João vai o do Pedro", explicou, referindo-se ao fato de ser mais simples para cooperativas formarem os lotes para entrega, mesmo numa situação em que a qualidade da safra não seja homogênea.   Continuação...